A presença do Boca Juniors no CT do Caju, do Atlético, volta a colocar a estrutura do futebol paranaense sob os holofotes. Em um período de um ano, além dos argentinos, a Seleção Brasileira, o Cerro Porteño, o Flamengo e a Portuguesa também estiveram em campos da capital e do interior para temporadas de treinamento.

Inaugurado em 1998, o CT do Caju já tem sua fama consolidada. Agora, passou a ganhar a concorrência de outros centro de treinamento instalados no Paraná. É o caso do Sportville, em Quatro Barras, na região metropolitana de Curitiba, que este ano recebeu a Portuguesa na preparação para o Paulistão.

Já o recém inaugurado CT da SM Sports, em Londrina, foi além. Depois de um ano sendo palco de treinos apenas das categorias de base do Iraty, o local sediou a pré-temporada do Flamengo para o Campeonato Carioca deste ano.

A visita rendeu grandes elogios do treinador flamenguista, Vanderlei Luxemburgo. “O Flamengo ia gastar 450 mil reais em São Paulo. Aqui vamos ganhar com receita dos jogos. O local tem todas as condições para trabalhar, é bem localizado e nos oferece uma condição de trabalho excelente”, disse, na época.

Mesmo sem receber nada da equipe carioca pela estada, os proprietários do CT da SM Sports contaram com um bom punhado de sorte na exposição de sua marca. Na ocasião, o Flamengo levou a melhor na queda de braço contra Grêmio e Palmeiras pela contratação de Ronaldinho Gaúcho junto ao Milan da Itália. Resultado: boa parte do mundo ao menos ficou sabendo que os primeiros trabalhos do craque com a camisa rubro-negra ocorreram em solo paranaense.

Mais investimento

Enquanto Flamengo e Corinthians encabeçam uma lista de grandes clubes do país que apenas recentemente passaram a dar atenção à necessidade de um espaço próprio para treinamentos, a construção de CTs vai proliferando no futebol paranaense. Além de Atlético, Coritiba e Paraná Clube, equipes do interior, representantes da iniciativa privada e até mesmo um clube amador já contam com estruturas especializadas.

No interior, com o Toledo precisando aguardar pelo início da Divisão de Acesso do Estadual, o clube chegou a emprestar seu centro de treinamentos ao Paranavaí, para uma pré-temporada no início do ano. Já o CT da SM Sports tem sido utilizado pelo Londrina, após assinatura de parceria prevista para 10 anos.

Na capital, a iniciativa privada ainda toma conta de CTs como Barcellos, Sportsville e Andraus, com objetivo na formação de jogadores. Representando o futebol amador de Curitiba, o Trieste de Santa Felicidade conta com moderna estrutura e chega a reivindicar que durante a Copa do Mundo 2014 alguma das seleções use seu campo de treinamento.

Já o Coritiba, além de realizar benfeitorias no CT da Graciosa, está em fase final de negociação para comprar um terreno na região metropolitana, em Campina Grande do Sul, a fim de construir um moderno espaço para treinamentos. A aquisição pode até ter parceria com o governo do Catar – país sede da Copa do Mundo de 2022.