aqui cinco dias o Atlético irá definir seu futuro na Primeira Liga. Na próxima terça-feira (22), às 13h30, em Belo Horizonte, está marcada uma reunião, onde os clubes irão discutir a tabela do campeonato e a divisão da verba de televisão, assunto que virou um imbróglio depois que o Furacão e o Coritiba enviaram uma nota sendo contra o atual formado do rateio.

O imbróglio envolvendo Atlético, Coritiba , Primeira Liga e a divisão dos direitos de transmissão do torneio já tem data para ganhar um ponto final.

“Estamos abrindo para conversar e ver o que os presidentes dos clubes querem”, explicou o vice-presidente da Primeira Liga, Francisco Battistotti, à reportagem.

Na semana passada, a dupla Atletiba requisitou uma reunião para discutir o assunto e defender a divisão no modelo inglês (50% igualmente, 25% por audiência e 25% em premiação). O Coxa até voltou atrás na questão e disse que continuará na Liga, mas o Rubo-Negro bate o pé e a tendência é não participar do torneio caso a proposta não seja aceita. Uma ameaça que não intimida os organizadores.

“Espero que a decisão possa ser unânime. Vai depender dos 16 clubes e que o bom senso possa prevalecer. O Atlético é importante, mas têm outros clubes na lista querendo participar”, frisou Battistotti, mandatário do Avaí.

O rateio da discórdia

Em reunião no fim de outubro, a Rede Globo apresentou proposta de quase R$ 70 milhões por três temporadas da Primeira Liga. O problema, no entanto, ficou na forma de divisão do dinheiro.

O rateio aprovado por 15 dos 16 equipes ficou em 46% (entre todos os clubes), 31,5% (audiência) e 22,5% (premiação). Mais tarde, o Coritiba voltou a atrás e ficou ao lado do Atlético, único que não concordou com a divisão logo de cara. Outros times, como a Chapecoense, também tendem a mudar de opinião, conforme apurou a reportagem.