Fazia tempo que um jogo da seleção brasileira não era tão aguardado. Desde que Tite foi anunciado como o técnico do Brasil, a expectativa era para ver o que o novo treinador faria, por conta do trabalho recente no Corinthians. Nesta quinta-feira (1), diante do Equador, não se viu um futebol vistoso, mas a evolução na construção das jogadas e o posicionamento tático apareceu, embora com dificuldades. O resultado disso foi a vitória por 3×0, fora de casa, com gols de Neymar, cobrando pênalti, e Gabriel Jesus, duas vezes.

Um resultado que alivia a pressão do Brasil nas Eliminatórias da Copa do Mundo, uma vez que embolou toda a classificação, e dá tranquilidade para Tite iniciar o trabalho e já projetar o próximo confronto, que acontece na terça-feira (6), às 21h45, contra a Colômbia, na Arena da Amazônia.

Um primeiro tempo pouco emocionante e muito equilibrado. Ainda desentrosado, o Brasil pouco arriscava, mas tocava muito a bola quando tinha a posse, buscando espaços entre a defesa do Equador, que, mais acostumado à altitude, embora nenhum titular atualmente jogue lá, atacava em jogadas rápidas pelas laterais.

Domínguez e Alisson trabalharam duas vezes de fato nos 45 minutos iniciais, o que mostra o equilíbrio da partida, mas também os erros de ataque dos dois lados. Pelo Brasil, Neymar e Gabriel Jesus se revezavam pela esquerda e pelo centro no ataque, tentando, nas jogadas individuais, ganhar da marcação, mas a falta de precisão atrapalhou. Do outro lado, Caicedo era quem mais chamava a atenção da defesa brasileira, que se mostrou segura.

No segundo tempo, o Brasil cresceu e construiu a vitória com certa naturalidade. Com mais espaços, uma vez que o Equador se abria mais tentando levar perigo, a seleção tinha o domínio do confronto, só que errava muitos passes e finalizações.

Ainda assim, a seleção era superior e seguia figurando mais no ataque. Com a entrada de Philippe Coutinho, Daniel Alves tinha mais liberdade pela direita e chamou a marcação, abrindo um buraco pela esquerda. Justamente por onde Gabriel Jesus arranjou um espaço, ganhou na velocidade de Mina e foi derrubado por Domínguez na área. Pênalti, que Neymar bateu rasteiro, no canto direito do goleiro, que não alcançou a bola.

Atrás no placar, o Equador cresceu, mesmo com um a menos, após a expulsão de Paredes, em entrada dura em Renato Augusto. Aos 32, Bolãnos arriscou de longe e Alisson fez boa defesa. Mas, com calma, o Brasil manteve o ritmo e aproveitou os espaços para chegar ao segundo. Aos 41, Neymar tocou para Marcelo, que cruzou na medida para Gabriel Jesus, de calcanhar, empurrar para as redes. O estreante da seleção principal ainda fez mais um. Aos 46, recebeu de Neymar, na entrada da área e bateu colocado, fechando o placar.

ELIMINATÓRIAS
1º Turno – 7ª Rodada

EQUADOR 0X2 BRASIL

Equador
Domínguez; Paredes, Mina, Achilier e Walter Ayoví; Carlos Gruezo (Gaibor, 36 do 2º), Noboa e Jefferson Montero (Arroyo, 28 do 2º); Enner Valencia, Bolaños e Caicedo (Ibarra, 21 do 2º).
Técnico: Gustavo Quinteros

Brasil
Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho, Renato Augusto, Willian (Philippe Coutinho, 15 do 2º) e Neymar; Gabriel Jesus.
Técnico: Tite

Local: Estádio Olímpico de Atahualpa (Quito-EQU)
Árbitro: Enrique Cáceres Villafañe (PAR)
Assistentes: Eduardo Cardozo Escobar (PAR) e Milciades Saldivar Franco (PAR)
Gols: Neymar, 26, Gabriel Jesus, 41 e 47 do 2º
Cartões Amarelos: Bolaños, Jefferson Montero, Domínguez (EQU); Paulinho (BRA)
Cartão Vermelho: Paredes, 30 do 2º
Público pagante: 34.887