Maior ídolo no atual grupo rubro-negro, o técnico Geninho fará amanhã o seu tira-teima em Atletibas. Apesar de toda a história que o profissional tem a frente do Furacão, ele disputou somente quatro clássicos contra o rival Coritiba.

A estreia foi coincidentemente contra o atual treinador alviverde, Ivo Wortmann, durante a campanha vitoriosa do Atlético no campeonato brasileiro de 2001. O jogo aconteceu em 21 de outubro, no Couto Pereira, e terminou empatado, sem gols.

Geninho dirigiu o Atlético em mais duas oportunidades no ano seguinte. Em 24 de fevereiro venceu o rival por 2 a 0 na Arena da Baixada, válido pela Copa Sul-Minas. E em 19 de maio, foi derrotado no Couto Pereira por 1 a 0, no campeonato estadual.

Esse foi o último jogo de Geninho no comando do Furacão antes do retorno em 2008. Novamente o treinador enfrentou o Coxa no estádio adversário. E, mais uma vez, não conseguiu vencer. Empate em 1 a 1, em setembro do ano passado.

Para o reencontro em 2009, no ano do centenário do rival, Geninho espera acabar com esse tabu de não vencer no Couto Pereira e também alcançar a vantagem em Atletibas.

Dos 4 disputados, venceu um, perdeu outro e empatou dois. “Atletiba é sempre diferente. Toda a vez que um jogo envolve grande rivalidade torna-se diferente e especial.

Realmente mexe com a cidade e com aquela rivalidade local. Por isso tem que ter cuidados especiais para conseguir um resultado positivo. Porque esse é o jogo onde você tem que derrotar seu rival” afirmou Geninho.

Sem favorito

Nesse momento, por ser início de preparação das duas equipes e a prioridade nos trabalhos diários é a parte física, o treinador rubro-negro não acredita em favoritismo. Nem mesmo o “fator Couto Pereira” é apontado como vantagem para o alviverde.

“Talvez trabalhar naquele campo dê uma pequena vantagem (ao adversário). Mas acho que nem isso pende no momento. Se essa equipe estivesse destacadíssima no campeonato e vivendo um momento excepcional, o (fato de) jogar em casa poderia representar um favoritismo. Mas isso nem sempre se confirma no campo”, explicou.

Outra coincidência

Durante a entrevista, ao falar do Coritiba, Geninho relembrou um momento interessante na sua carreira ainda como atleta. “Não tem nada com Atletiba. Foi um Francana e Coritiba, onde tomei um gol do Aladim no final do jogo e o Coritiba ganhou. Esse é o único jogo contra o Coritiba que realmente marcou. Porque não iria jogar, mas meu reserva era um garoto muito novo que, quando soube que ia jogar, passou mal. Então tive que ir pro jogo”, contou sorrindo Geninho.

Definição

O técnico Geninho comanda hoje o único treinamento coletivo do Atlético voltado para o clássico de amanhã, no Couto Pereira. No entanto, o Furacão está praticamente definido. Alberto retorna para a ala direita e a única dúvida está na ala esquerda.

Netinho trabalhou com o grupo ontem, mas ainda é dúvida. Sua escalação só deve ser confirmada instante antes do clássico. Se Netinho não jogar, permanece o garoto Alex Sandro.