É a hora da virada. Assim o Atlético encara o desafio de logo mais, às 18h20, contra a Portuguesa na Arena. E a nação rubro-negra tem vários motivos para acreditar na mudança de rumo no Brasileirão.

Para esta partida, o Furacão terá em campo um time completamente remodelado e assistido pelo novo treinador: Geninho – profissional que é ídolo da torcida desde a conquista do título nacional de 2001 e que retorna ao clube pela 1.ª vez após o triunfo.

Há ainda fatores extra-campo que também podem contribuir com a reação do time, como a reaproximação de ilustres atleticanos, através do manifesto, e a descentralização do comando de futebol, com Marcos Malucelli assumindo a função devido ao afastamento dos presidentes Fleury e Petraglia.

Mas a força principal do Atlético sempre esteve e novamente estará nas arquibancadas. E, diante de tantas novidades e da necessidade de apoio, com certeza a Arena voltará a se transformar num caldeirão. Geninho conta com a força do torcedor e acredita que seu retorno à Arena será emocionante.

“Voltar à Arena é sempre uma emoção diferente. Ter contato com a torcida que me ajudou e num local onde fui muito feliz. E voltar dirigindo o Atlético. Essa emoção dobra porque a responsabilidade vem junto. Espero que a torcida me ajude tanto quanto em 2001. Eu tenho reconhecimento grande por ela que teve uma responsabilidade imensa naquele título, ajudando o time em algumas situações terríveis. E espero contar com esse pessoal de novo. Sei que o momento não é bom, mas é hora de juntarmos forças e acreditar até o final”, avaliou.

Time

Mas como o futuro do time na competição será decidido dentro do campo, Geninho resolveu criar o fato novo para o ressurgimento do Atlético na competição. Para isso, ele promoverá sete mudanças em relação à equipe que deu vexame e foi goleada pelo Goiás.

O esquema continuará com três zagueiros, mas muitos jogadores atuarão juntos pela primeira vez. As novidades são os retornos do zagueiro Rhodolfo, do volante Valencia, de Netinho – que atuará como ala esquerdo e dos atacantes Rafael Moura e Júlio César.

A dupla fará sua primeira aparição em conjunto e terá a responsabilidade de melhorar o desempenho do ataque, que é o segundo pior da competição (23 gols).

Além disso, o confronto de logo mais marcará também o retorno de outro ídolo do Furacão na década passada, o lateral Alberto. “As mudanças são necessárias por causa da seqüência de resultados negativos. As coisas não estavam boas e você não pode chegar aqui e ficar na mesmice. Agora só a seqüência de jogos que vai dizer se estou no caminho certo, se precisa de ajustes ou novas mudanças”, afirmou Geninho.

Apesar de pouco tempo de treinamento, o comandante está bastante confiante no desempenho do time. “Vamos torcer e contar com a inteligência desses jogadores que tenham assimilado um pouco daquilo que colocamos. E que a motivação esteja no índice máximo para a conquista da vitória, que é o mais importante”, destacou.

A coincidência também estará presente no jogo de hoje. Geninho retorna ao Atlético numa situação idêntica a de 2001. Jogo contra a Portuguesa, no mês de setembro e substituindo Mário Sérgio. O novo técnico só espera que o resultado também se repita após sete anos. Vitória do Furacão por 3 a 1.

25ª Rodada do Campeonato Brasileiro
Atlético x Portuguesa/SP

Local: Estádio Joaquim Américo, Arena da Baixada, em Curitiba
Hora: 18h20
Atlético: Galatto; Rhodolfo, Antônio Ca,rlos e Danilo; Alberto, Fernando, Valencia, Ferreira e Netinho; Júlio César e Rafael Moura.
Técnico: Geninho
Portuguesa: Sérgio; Patrício, Bruno Rodrigo, Halisson e Bruno Recife; Gavilan, Dias, Carlos Alberto e Edno; Jonas e Washington.
Técnico: Estevam Soares
Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF)
Assistentes: Marrubson Melo Freitas (DF) e Nilson alves Carrijo (DF)