Três vezes medalhista olímpico, tricampeão mundial e um dos maiores jogadores de vôlei de todos os tempos, Giba está novamente sem clube. Aos 37 anos, o ponteiro encerrou nesta quarta-feira a sua passagem pelo Al Nasr, de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Foram apenas três meses jogando pelo clube.

De acordo com a assessoria de imprensa do jogador, Giba havia aceitado o desafio proposto pelo Al Nasr de jogar, implantar projetos sociais e ajudar na profissionalização da modalidade nos Emirados Árabes. “Mas, diante das circunstâncias encontradas, e, principalmente, da falta de respeito a um atleta que deu ao mundo tantas alegrias e conquistas, optou pela rescisão contratual”, justifica a assessoria, em comunicado.

Ainda de acordo com o staff de Giba, ele pensa em encerrar a carreira. “Nos próximos dias o atleta resolverá detalhes burocráticos para voltar ao País e, enquanto isso, tomará uma decisão sobre a continuidade, ou não, nas quadras”, avisa.

Aos 36 anos, Giba vem tendo dificuldades em render o seu melhor. O jogador defendeu o Bolívar, da Argentina, na última temporada, e voltou em agosto para o Brasil, contratado pelo Taubaté, que apostava no veterano como estrela de um elenco de poucos nomes conhecidos mas coordenado pelo supervisor Ricardo Navajas. Giba, porém, fez apenas cinco partidas pelo Taubaté antes de anunciar sua saída para o Al Nasr.