A mudança para um centro menor, que costuma afastar alguns jogadores da seleção brasileira, foi fundamental para a manutenção de Gilberto Silva na equipe dirigida por Dunga, na opinião do volante brasileiro. Com poucas chances no Arsenal, o pentacampeão mundial trocou o futebol inglês pelo Panathinaikos, da Grécia, após o encerramento da temporada 2007/2008.

“Comparado ao ano passado, no Arsenal, melhorei entre 30 e 40%, mas para chegar aos 100% preciso melhorar alguma coisa, trabalhar mais cobertura aos laterais. Mas a escolha que eu fiz foi fundamental para que eu continuasse na seleção brasileira”, avaliou.

Um dos jogadores da seleção mais questionados, Gilberto Silva agradeceu os elogios recebidos após a vitória sobre os Estados Unidos, mas minimizou a importância da crítica. “Elogio é sempre importante. Estava sendo muito criticado, não pelo que fazia em campo, mas por acharam que outro jogador deveria estar em meu lugar. Eu não estaria na seleção se não fizesse um bom trabalho. Fico feliz por agora as coisas estarem mais tranquilas. As críticas podem machucar, mas sempre ajudam”, afirmou.