Ronaldinho Gaúcho, além do gol, uma boa partida.

Seogwipo (AE) – Em seu primeiro desafio contra uma seleção asiática em Copas do Mundo, a seleção brasileira, ainda sem apresentar um futebol convincente, goleou a frágil China por 4 a 0, pelo Grupo C da Copa do Mundo, ontem, no Jeju World Cup Stadium, em Seogwipo, na Coréia do Sul. Agora, o Brasil vai torcer por um empate ou uma vitória da Costa Rica, na manhã de hoje, diante da Turquia, para garantir a vaga nas oitavas-de-final por antecipação.

Apesar da vitória, os 15 primeiros minutos de jogo foram de muita apreensão para o torcedor do Brasil. Com muitos passes errados, principalmente do meia Juninho Paulista, e diante da forte marcação da defesa chinesa, os brasileiros não conseguiam organizar as jogadas ofensivas. A China explorava os contra-ataques com velocidade.

A tranqüilidade chegou aos 15 minutos. Em falta sofrida por Ronaldinho Gaúcho, próxima à grande área, pelo lado direito, o lateral-esquerdo Roberto Carlos cobrou com muita força, surpreendeu o goleiro Jiang Jin e abriu o placar.

O gol não significou, porém, uma evolução do futebol brasileiro na partida. A equipe, sem criatividade, não conseguia superar a retranca do adversário com facilidade. Foi em um lance isolado, aos 31 minutos, que o Brasil chegou ao segundo gol. Ronaldinho Gaúcho, que pegara um rebote pelo lado esquerdo, fez o cruzamento para Rivaldo, sozinho na pequena área, tocar para o gol com o pé esquerdo.

O terceiro gol saiu depois de uma das poucas jogadas bem trabalhadas no primeiro tempo. Em uma bonita tabela entre os Ronaldos pelo meio, o mais experiente foi derrubado na grande área pelo zagueiro Li Weifeng. O mais jovem, o Gaúcho, cobrou e, aos 44 minutos, aumentou a vantagem.

Na segunda etapa, com Denílson no lugar de Ronaldinho Gaúcho, o Brasil passou a tocar a bola com calma e chegou ao quarto gol aos 9 minutos. Depois de um lançamento longo de Rivaldo, Cafu ganhou bem da zaga pela direita e fez um bonito cruzamento para Ronaldo, livre, apenas tocar para o gol.

O Brasil mantinha o ritmo do primeiro tempo e, aos 15 minutos, quase sofreu o primeiro gol. Zhao Junzhe chutou forte e a bola bateu no poste esquerdo do gol de Marcos. A entrada de Denílson não surtiu a mudança esperada e, aos 24 minutos, o técnico Luiz Felipe Scolari optou pela entrada de Ricardinho no lugar de Juninho Paulista.

Em sua primeira jogada, Ricardinho fez uma bela assistência para Ronaldo, que só não fez o quinto gol por causa de uma boa defesa do goleiro Jiang Jin. Dois minutos depois, Ronaldo foi substituído por Edílson. Nos últimos 15 minutos, satisfeitos com o resultado, os brasileiros tocaram a bola e perderam o oportunidade de aplicar uma goleada ainda maior.

Felipão já esperava gol no início do jogo

Edmundo Leite

Seogwipo (AE) – O treinador da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, estava tranquilo na entrevista coletiva. Mesmo com a equipe não apresentando um bom futebol nos primeiros minutos de jogo, Felipão sabia que a qualquer momento a bola iria balançar a rede adversária, fato que acabou acontecendo aos 15 minutos através de uma cobrança de falta de Roberto Carlos. “Tudo o que aconteceu já estava programado. Iríamos esperar 10, 15 minutos para marcar. Depois, bastava administrar o resultado”, ressaltou o técnico.

Felipão, no entanto, reconheceu a fragilidade do adversário. “Os chineses estão aprendendo. Eles têm que subir alguns degraus ainda. Já o Brasil já apresenta um futebol consolidado”, afirmou. A seleção brasileira fez o suficiente para conquistar a segunda vitória na Copa. “Temos muito que evoluir ainda, mas isso vai acontecer naturalmente. Foi apenas o segundo jogo. Vamos continuar trabalhando para melhorar ainda mais”, comentou o treinador. O que mais deixou Felipão irritado foi o cartão amarelo que Ronaldinho Gaúcho recebeu aos 25 minutos do primeiro tempo. “Falaram muito do Rivaldo no primeiro jogo, que acabou sendo punido. É o que aconteceu com o Ronaldinho, que recebeu uma falta, quando foi segurado pela camisa, e ainda levou o amarelo. Um absurdo. Vamos ver o que eles (Fifa) vão fazer agora”, alertou Felipão. A Comissão Disciplinar da Fifa poderá usar o videoteipe do jogo para anular o cartão de Ronaldinho Gaúcho.

Não saí cansado de campo”, diz Ronaldo

Edmundo Leite

Seogwipo, Coréia do Sul (AE) – O atacante Ronaldo deixou o gramado do estádio de Seogwipo feliz com a atuação contra a China. “Me diverti bastante e vou melhorar ainda mais”, disse logo após deixar o campo, substituído por Edílson. Com o gol marcado aos nove minutos do segundo tempo após receber cruzamento de Cafu, O jogador da Inter de Milão cumpriu a promessa que fez ao técnico Felipão de fazer um gol a cada jogo. “Estou vibrando muito e me sentindo muito bem. cada gol que vou fazendo aumenta a minha empolgação”.

Apesar de satisfação e da vontade de marcar cada vez mais, ele evita falar em artilharia. “A medida que os jogos vão passando os gols vão saindo naturalmente. Mas não estou preocupado com isso. Só quero ajudar a seleção ser campeã”, disse. Se saiu satisfeito com o seu desempenho, Ronaldo não pareceu muito feliz com a substituição, aos 26 minutos do segundo tempo. Na véspera, ele havia dito que esperava atuar os 90 minutos da partida.

Quando o juiz auxiliar levantou a placa indicando a sua saída, Ronaldo demorou a perceber. Ele havia acabado de ter uma outra chance de marcar, num lance que Ricardinho o deixou na cara do gol, numa de suas melhores jogadas. A bola foi para escanteio, mas o treinador resolveu fazer a troca antes mesmo da cobrança.

Ronaldo cumprimentou o companheiro que entrava, pegou a sua água mas evitou sentar no lugar que estava vago no banco de reservas. “Não saí cansado de campo. Saí para ser preservado”.