Duas rodadas e uma goleada sofrida dentro de casa foram suficientes para a primeira troca de treinadores no Campeonato Paranaense. Na tarde de ontem, a diretoria do Rio Branco de Paranaguá confirmou que Gassen Salim Youssef será substituído interinamente por Herminho.

Apesar de estrear com empate contra o Atlético, em Curitiba, Salim não resistiu à goleada sofrida pelo Rio Branco diante do Londrina em pleno litoral paranaense (6 x 0). “Foi o resultado de ontem (anteontem) que tornou a permanência dele insustentável”, justificou o presidente do Leão da Estradinha, Fabiano Elias.

Oficializar a contratação de um novo comandante até a próxima segunda-feira é a expectativa da diretoria do Rio Branco. De acordo com o presidente, o “fato novo” serve para chacoalhar os ânimos no Leão da Estradinha. “A impressão que eu tenho é que se a equipe se mostrar mais motivada com a mudança de treinador, os reforços serão poucos”, disse Fabiano Elias, deixando no ar que o elenco corre risco de reformulação dependendo do resultado de domingo, contra o Toledo, em Paranaguá.

Ao comentar a entrega do cargo, o agora ex-treinador do Rio Branco, Salim Youssef, afirmou que tomou tal medida para proteger o elenco do clube. “Não ia aceitar que dois jogadores fossem bode expiatório por um erro do time”, lamentou.