Choquito deverá ter a
primeira chance como titular.

Um “apagão” de 17 minutos. Esta foi a justificativa da comissão técnica e jogadores para o revés na Bahia. A goleada (6×1) para o Vitória foi, na avaliação do técnico Paulo Campos, reflexo de um time ainda em formação, capaz de grandes resultados, mas vulnerável a tropeços inesperados. Reconhece que seu time “desmoronou” no momento em que desperdiçou um pênalti e agora é “juntar os cacos” para a partida de quinta-feira, frente ao Flamengo, no Pinheirão.

“Quem vê apenas o resultado pode imaginar que não fizemos nada no jogo e isso não é verdade”, comentou Paulo Campos. O treinador – recorrendo inclusive a jornais baianos para comprovar suas palavras – explica que até 25 minutos, seu time criou três situações de gol e tinha uma marcação bem definida. “Chegamos a empurrar o Vitória para o seu campo, mas houve uma confiança excessiva e faltou atenção”, confirmou. Os três primeiros gols foram em contragolpes, aproveitando a falta de pegada do Tricolor.

Mesmo levando seis gols – o que deixou o Paraná com a defesa mais vazada após duas rodadas – o Tricolor não recebeu um cartão amarelo sequer. “Não significa que fomos muito disciplinados, mas muito desatentos”, disse Campos. O treinador espera que o revés tenha sido pedagógico. “Vivemos, agora, o outro lado da moeda”, explicou. “Se tivemos que segurar uma suposta euforia após a vitória sobre o Santos, agora temos que evitar qualquer tipo de abatimento”.

Para o treinador, os jogadores devem ter em mente que há menos de uma semana eles derrotaram – e com futebol de qualidade – um dos melhores times do Brasil. “O Vitória foi muito feliz, com um aproveitamento acima da média. Agora, não adianta ficar lamentando, mas crescer com os ensinamentos que tiramos deste jogo”, comentou.

O experiente volante Axel concorda e sabe que o resultado ruim aumentou a responsabilidade de todos para o jogo de quinta-feira. “Um resultado positivo nos daria estabilidade, pois todos sabem que o grupo ainda está em formação”, disse. “Agora, temos que conquistar, de novo, a confiança do nosso torcedor”.

Mudanças

As primeiras alterações no time-base devem ser confirmadas no treino desta noite (19h30). Paulo Campos pretende dar mais eqüilibrio ao time e reconhece que Fernando Lombardi e Chokito atravessam bom momento. Os dois entraram no segundo tempo do jogo e o time subiu de produção, com segurança na defesa e velocidade no ataque. “Já conversei com os jogadores e estas mudanças são normais, pois ainda estamos buscando o melhor encaixe”, disse Campos, que está trabalhando este grupo há três semanas.

O treinador não adiantou quem saiu, mas Nelinho e Adriano devem perder suas posições. O restante da equipe não será alterado, nem o esquema tático. “O time já conseguiu assimilar um padrão de jogo e não vejo motivo para mexidas mais profundas”. Com Lombardi, ele pretende dar maior maturidade à zaga. No ataque, Chokito se mostrou um jogador de maior mobilidade e nos dois jogos anteriores, Adriano ficou muito preso à marcação adversária.

Chokito e Lombardi estão cotados para time titular

As primeiras alterações no time-base do Tricolor devem ser confirmadas no treino desta noite (19h30). O horário diferenciado visa adaptar os atletas à iluminação do Pinheirão e ao piso de jogo (úmido pelo orvalho). Paulo Campos pretende dar mais equilibrio ao time e reconhece que Fernando Lombardi e Chokito atravessam bom momento. Os dois entraram no segundo tempo e o time subiu de produção, com segurança na defesa e velocidade no ataque. “Já conversei com os jogadores e estas mudanças são normais, pois ainda estamos buscando o melhor encaixe”, disse Campos.

O treinador não adiantou quem sai, mas Nelinho e Adriano devem perder suas posições. O restante da equipe não será alterado, nem o esquema tático. “O time já conseguiu assimilar um padrão de jogo e não vejo motivo para mexidas mais profundas.” Com Lombardi, ele pretende dar maior maturidade à zaga. No ataque, Chokito se mostrou um jogador de maior mobilidade e nos dois jogos anteriores, Adriano ficou muito preso à marcação adversária. “Estou buscando meu espaço. Não sou jogador de me acomodar com a reserva”, disse Chokito. Na sua estréia, marcou seu primeiro gol com a camisa tricolor dois minutos após entrar em campo.