Próxima de ser concluída e elogiada pela presidente Dilma Rousseff durante a visita realizada na última sexta-feira, a Arena da Baixada será uma das preocupações do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, durante a Copa do Mundo, no mês que vem. Em entrevista à Tribuna 98, o ministro admitiu o receio de falhar, no estádio atleticano, a rede de dados de telefonia móvel nos dias dos quatro jogos do Mundial, quando o Joaquim Américo vai receber pelo menos 40 mil pessoas nas suas dependências.

Segundo Bernardo, o pedido feito ao presidente do Atlético e da CAP S/A, Mário Celso Petraglia, e aos representantes dos poderes municipal e estadual, é para que sejam colocadas antenas de wi-fi em alguns pontos do estádio. “Ainda estamos conversando com os dirigentes do estádio e discutindo a importância de colocar antenas de wi-fi. Em momentos do jogo, quando o estádio estiver lotado, vai ser difícil fazer o tráfego simultâneo de dados, seja para entrar em um Facebook ou mandar mensagens via Whatsapp. Haverá uma sobrecarga no sistema de 3G e 4G das operadoras. Com as redes de wi-fi disponíveis, a rede de celular não ficará tão sobrecarregada e a internet vai funcionar melhor”, explicou.

O ministro, que durante a entrevista revelou ser torcedor do Atlético, afirmou que os testes feitos com redes de wi-fi em outros estádios que vão receber jogos da Copa do Mundo foram satisfatórios. “No Maracanã, por exemplo, fizemos os testes e tudo estava funcionando de forma muito adequada. O estádio tinha muita gente e a internet funcionou de boa forma. Testamos em Brasília também e ficou comprovado que os serviços com wi-fi funcionam melhor”, emendou.

O ministro das Comunicações afirmou que a capital paranaense não deverá sofrer com problemas de telefonia móvel durante os jogos do Mundial.

“Curitiba tem média de 70% de cobertura de todas as operadoras. Fizemos esse levantamento em fevereiro e as operadoras já cumpriram a meta de cobertura que vai atender de maneira satisfatória os usuários. Já temos as fibras óticas instaladas aqui e a sala que vai abrigar os equipamentos já está liberada. O pessoal está trabalhando nisso e a previsão é que até o dia 15 de maio tudo esteja pronto e que não tenhamos esse problema. No estádio, o único problema mesmo é colocar redes de wi-fi, que fará com que as redes de 3G e 4G funcionem melhor na Copa”, finalizou o ministro das comunicações.

Pressão

Apesar de ter gostado do que viu na Arena da Baixada e de ter ficado impressionada com a pouca distância das cadeiras do estádio com o campo de jogo, a presidente Dilma Rousseff cobrou, segundo Paulo Bernardo, maior agilidade nesta reta final de preparação do Joaquim Américo para receber as partidas da Copa do Mundo. “Ela cobrou do pessoal e quer que tudo esteja aprontado até o início dos jogos. Eles asseguraram que está tudo em ordem e que será tudo finalizado a tempo”, contou.