Moroti venceu de ponta a ponta o Clássico Bento Munhoz da Rocha Neto, credenciando-se para o Grande Prêmio Paraná. Depois de breve luta com Mark Brown, Moroti assumiu a ponta e só no final da reta oposta modificou-se o panorama da corrida, quando Dá-lhe Grison melhorou para segundo, aproximando do ponteiro no final da curva. Chegou a dar impressão que poderia dominar a corrida, mas Moroti tinha reservas e nos 200 finais livrou maior vantagem, para ganhar a prova com dois corpos na frente de Dá-lhe Grison, completando o marcador, pela ordem, Fort Bird, Mark Brown e Octogonal.

Moroti, um filho de Val de Grace e Spetacularsecret, de criação do Haras Ponta Porã, que defendeu a farda do Stud Gold Black. Pedro Nickel Filho apresentou-o em grande forma, enquanto Emerson Gonçalves Cruz esteve perfeito em sua direção, regulando muito bem o ritmo da corrida,.

Éguas

Night Better (J.S.Cardoso),do Stud Terra Nova, preparada por Rui Floriano Silva, venceu de ponta a ponta a Prova Especial Carl Heinz Conrad, com incrível facilidade. Destacou-se de seus rivais após a partida e seguiu até o final, para ganhar por oito corpos de Listen Now, que formou a dupla com Orla Nova na posição imediata A vencedora assinalou para os 2.000 metros a boa marca de 2’10″7.

Major Punk (E.G.Cruz) confirmou seu favoritismo, vencendo fácil e com 45″3 para os 800 metros. O defensor de Nelson Faria de Souza, que foi preparado por Ricardo Colombo, ficou a 3 décimos do recorde de Quixote. Maracujá Doce seguiu de perto o favorito, mas no final Major Punk livrou dois corpos, com Xara’s Prata na terceira colocação.

Iluminatto (C.Martins) deu um passeio na terceira prova. Após a partida caíram os jóqueis de Di Trevi (A.Domingos) e K’Marote (J.S.Cardoso). Na entrada da reta Iluminatto dominou Privilegiado e disparou para o disco, ganhando por nove corpos de Bergkamp, que formou a dupla com Univalente na terceira colocação Iluminatto, do Haras São José dos Pinhais, sob os cuidados de Mario Aparecido de Souza assinalou 1’35″4 para os 1.500 metros. Altair Domingos nada sofreu e seguiu montando, enquanto João Sampaio Cardoso, permaneceu em observação, com dores na perna, não participando das demais provas.

Bela da Toca (E.G.Cruz) marcou a segunda vitória de Nelson Faria de Souza, enquanto Ricardo Colombo apresentou-a em boa forma. Mami-Seller, muito veloz, correu na ponta seguida de perto por Bela da Toca, que na entrada da reta assumiu a ponta e seguiu até o final, para ganhar com autoridade de Effusion que obteve bom segundo, com Odish melhorando para terceiro nos metros finais.

Velocidade

A prova Especial Paulo Dietzsch foi vencida por Ana Banana, do Stud Gold Black, recebendo a direção de Emerson Gonçalves Cruz e apresentada por Pedro Nickel Filho. Ludwig Glory correu na ponta, mas na entrada da curva, depois de prejudicada, foi dominada por Ana Banana que firmou-se na ponta e seguiu até o final, sem ser ameaçada por Jaracap, que atropelou nos últimos 300 para conseguir bom segundo, com Rocky Pesado na posição imediata. Ana Banana assinalou 1’15″1 para os 1.200 metros.

Milha

Investment Banker, dirigido por Wagner Leal, confirmou seu favoritismo na Prova Especial Heitor Valente, apresentado por Luiz Roberto Feltran e dirigido por Vagner Leal, que substituiu João Sampaio Cardoso. Jadhir entrou na reta liderando a corrida, com Caro King na posição imediata. Investment Banker, porém, que corria próximo na terceira colocação atropelou forte, para ganhar por dois corpos de Caro King, com Jadhir atrasando-se para terceiro. Investment Banker assinalou 1’41’8 para os 1.600 metros.

Outras provas

A oitava prova resumiu-se num duelo. Eyjur regulou o ritmo da prova, sempre seguido de perto por Jacaré. O sensacional mano a mano, seguiu até o final. Jacaré deu a impressão que poderia vencer a prova, mas Eyjur tinha reservas e seguiu até o disco, sempre seguido de perto por Jacaré, chegando mais atrasado na terceira colocação Sem Vicio. Eyjur, de criação e propriedade do Haras J.B.Barros foi apresentado em boa forma por Márcio Gusso e bem dirigido por Altair Domingos, que fez valer sua categoria.

Aruatã Lua, de criação e propriedade do Coudelaria Batista, preparada por Márcio Ferreira Gusso, venceu a penúltima prova, com grande atuação de Altair Domingos. Lobo Cateto correu na ponta e na reta vinha defendendo-se do ataque de Michaelis, mas nos últimos 100 Aruatã Lua dominou a corrida em forte atropelada.

Offensivo, dirigido por Leandro Chimenes, vindo de Uvaranas, ganhou a prova final da reunião. Atropelando pelo lado externo da pistas o defensor de Elton FerandoViechnieski, dominou com facilidade Kuña Pajé, com Blue Doro Dancer e Gordola nas posições imediatas. Depois da corrida, uma festa dos turfistas ponta-grossenses. Offensivo foi apresentado pelo competente treinador Benedito Oliveira.