São Paulo – Uma boa notícia correu nos bastidores do Autódromo de Interlagos, onde amanhã será realizada a terceira etapa da Fórmula Truck: Débora Rodrigues, a única mulher da categoria, está grávida de cinco semanas.

O problema é que, por causa da gravidez, ela fica de fora da principal prova da categoria no ano. Valmir Benevides está confirmado no caminhão número 7.

Mãe de dois filhos, a piloto da Volkswagen afirma que ainda está na dúvida: ?Não queria decepcionar as pessoas que querem me ver, mas como a gravidez está no começo, talvez eu não corra o risco? afirmou Débora, que soube há poucos dias da gestação. ?Fiz um teste, que deu positivo, e na seqüência fiz um ultra-som. Só depois disso que contei para meu marido?, contou. ?Vou ser mãe depois de 19 anos. Criei meus outros dois filhos praticamente sozinha. E esse bebê vai ter melhores condições.?

O marido de Débora também acelera nas pistas: é Renato Martins, atual campeão da Truck e chefe de equipe da RM Competições. O piloto, que está na sétima colocação, com 12 pontos, estava radiante com a notícia. Débora, por sua vez, diz que tudo ainda é um mistério.

?Conversei com meu médico e ele disse que não existem muitas pacientes que sejam pilotos, ainda mais de caminhão. Ele disse que os três primeiros meses de gravidez são os mais delicados. Nada está certo na minha vida daqui em diante, mas sei que em março do ano que vem eu vou estar correndo e meu bebê vai estar nos boxes?, conclui Débora, a 11.ª na classificação geral, com três pontos.

O caminhão número 7 será guiado nesta corrida por Valmir Benevides, conhecido no automobilismo pelo curioso apelido de ?Hisgué?. ?Me ligaram ontem de noite perguntando se eu poderia correr. Respondi na hora que sim, já estava com saudades da vida em um autódromo?, diz o piloto, que corria de Stock Car (foi vice em 1994) e Super Stock Car (foi campeão paulista três vezes). A última aparição de Benavides foi na Mil Milhas de 2003, quando terminou em 4.º lugar na categoria protótipos, com um Aldee.

Tapetão

Outra novidade é que o piloto Vinícius Ramires, da Mercedes, obteve liminar na Justiça Comum para participar da corrida em São Paulo. Ele havia sido suspenso por duas corridas porque na segunda etapa, em Tarumã, foi considerado culpado por um acidente que causou a Luiz Zappelini uma fratura exposta no joelho.