Com a demissão de Celso Roth oficializada pelo Grêmio, na noite do último domingo, após a derrota (2 a 1) para o Internacional, voltaram-se para Geninho as atenções quanto a possibilidade do treinador trocar o Atlético pelo Tricolor gaúcho. Antes de embarcar para Natal, o técnico falou sobre o assunto. “Existe interesse do Grêmio, mas já falei para eles que não é o momento de sair do Atlético. Estamos numa reta final do Paranaense e é inviável no momento.”

Demonstrando muita sinceridade em suas declarações, como lhe é peculiar, Geninho aproveitou para cutucar aqueles que o criticam por ganhar muito no Atlético e afirmou que dinheiro não é tudo para um profissional do futebol.

“Teria uma proposta de um valor bem acima do que recebo aqui e isso não me seduz. Não é o dinheiro que me faz ficar aqui. O que me faz permanecer no Atlético é o carinho que essa torcida tem por mim, a maneira como sou tratado em Curitiba, que tenho o respeito do torcedor independente da equipe, a maneira como a imprensa me respeita e a maneira leal que a gente se conduz”, exemplificou.

No entanto, o técnico não descartou uma transferência no futuro, principalmente diante de um revés no Estadual. “Não tenho motivo nenhum para sair do Atlético, não tem nada que me faça sair do Atlético. Agora você sabe que futebol é dinâmico. Hoje vivo uma situação. Pode ser que no final do campeonato isso mude. Se a situação mudar, você pode mudar a sua maneira de pensar. Se a situação permanecer como está, fico até o final do meu contrato (dezembro 2009)”, finalizou.