Porto Alegre – Favorito no confronto desta quarta-feira, contra o Grêmio, o Internacional tem uma preocupação rara na história do clássico gaúcho, a de evitar que seus jogadores menosprezem o rival e considerem a vaga para a próxima fase da Copa Sul-Americana ganha antes do final da partida.

O técnico Muricy Ramalho passou a semana advertindo que a diferença de dois gols, estabelecida no jogo de ida, não é definitiva. A preocupação de Muricy é justificável para quem administra uma situação amplamente vantajosa. O Colorado pode perder por um gol de diferença que estará classificado. Se perder por dois gols de diferença, ainda assim terá a chance de levar a vaga nos pênaltis.

O Grêmio, ao contrário, vive uma das maiores crises de sua história. O time não vence há 11 jogos, afundou para a zona de rebaixamento do campeonato brasileiro e precisa ganhar por três gols de diferença para seguir na competição continental. Para piorar a situação, o técnico Cuca só poderá definir o time pouco antes do início do jogo. Ele vai esperar pela revisão médica para saber se Baloy, com um corte no joelho, e Cocito, com dores musculares, podem jogar. O centroavante Christian faria uma artroscopia na noite desta terça-feira e está fora.