Guga, encontro com Pizzonia
ao final do treino.

O duelo Gustavo Kuerten x Magnus Norman já fez história no tênis. Em 2000 brigaram pela liderança da corrida dos campeões e do ranking mundial. Disputaram jogos memoráveis, como as finais de Roma e de Roland Garros. Agora, depois de ambos terem passado pelo mesmo tipo de cirurgia no quadril, inclusive realizada pelo mesmo médico, voltam a se encontrar em um torneio importante: jogam hoje por uma vaga nas oitavas-de-final do Masters Series de Monte Carlo. O jogo está programado para começar por volta do meio dia (7 h de Brasília) com transmissão pela SporTV.

Por toda esta história, de caminhos muito parecidos entre estes dois jogadores, a emoção costuma marcar este duelo, como enfatiza Guga. “É sempre emocionante enfrentar o Norman”, diz o brasileiro. “Não é um jogo qualquer e há uma expectativa diferente. Nós dois, certamente, vamos entrar em quadra bastante motivados, já buscando uma classificação para as oitavas-de-final, o que passa a ser uma boa campanha para o primeiro torneio para a temporada de saibro.”

Diferente de 2000, quando os dois tenistas esbajavam técnica e físico, hoje vivem situações distintas. Guga vem de melhores resultados e uma rápida recuperação da cirurgia. O próprio ranking já deixa bem claro esta diferença. Enquanto o brasileiro ocupa a posição de número 15 e pode terminar esta semana em Monte Carlo entre os dez primeiros, Norman está em 94 e precisou de um wild card, convite, para entrar direto na chave do torneio.

Guga leva também uma grande vantagem no retrospecto, com seis vitórias contra apenas três derrotas. Mas, ainda assim, os duelos sempre foram equilibrados.