Nova York – Enfim, Gustavo Kuerten voltou a jogar bem e vencer. Em uma partida emocionante, com forte participação da torcida e clima festivo, o ex-número 1 do mundo derrotou o norte-americano Paul Goldstein por 6/2, 6/7 (5/7) 6/3 e 7/6 (7/4), num resultado que deixou Guga mais do que entusiasmado. "Para mim é como se fosse a minha primeira vitória em um Grand Slam."

A alegria de Guga, compartilhada por uma agitada torcida na quadra 11 de Flushing Meadows, tinha mesmo bons motivos. Afinal, o tenista brasileiro, de tantas glórias, amargava um longo período de frustrações. Há mais de um ano não ganhava um jogo de Grand Slam – o último foi justamente em Roland Garros, em 2004. Mais do que isso, Kuerten não ganhava sequer um set desde maio, no Masters Series de Hamburgo, quando venceu o romeno Andrei Pavel.

"Foi a vitória da superação", definiu Guga ao deixar a quadra, festejado por dezenas de torcedores, muito deles norte-americanos. "Estava há muito tempo à espera de um bom resultado, num torneio importante. Sei que estou muito feliz. Daqui pra frente tudo é lucro."

Na próxima rodada, Guga terá pela frente o espanhol Tommy Robredo, tenista que venceu as últimas partidas diante do brasileiro, inclusive aplicando um 6 a 0. Mas para o brasileiro, o momento era de pensar nos progressos alcançados nas últimas semanas, confirmados pela vitória sobre Goldstein. "Acho que consegui suportar bem o calor, em um jogo com mais de três horas", avaliou Guga. "Foi mesmo um belo teste e repito. Estou mesmo muito feliz."

O clima do jogo esteve perto ao de uma partida de futebol. A quadra 11, com arquibancadas apenas de um lado, ficou lotada. Com este jogo, Guga mostrou-se convencido de que pode novamente jogar bem. Sabe que ainda está longe de seu melhor nível, mas animou-se bastante com essa possibilidade.

Mello

Ricardo Mello enfrenta pela primeira vez na carreira o tcheco Tomas Berdych hoje, pela segunda rodada do US Open, ainda sem horário divulgado pela organização da evento. Depois de estrear com vitória diante do argentino Juan Monaco, Mello faz um confronto inédito contra Berdych, número 34 do mundo, que nesta temporada chegou ao vice-campeonato de Bastad (Suécia), quartas em Stuttgart (Alemanha) e semifinal em Washington (EUA).