Saitama (AE) – O falastrão Senol Gunes, técnico da Turquia perdeu a pose da véspera. Após a derrota para o Brasil, nas semifinais da Copa do Mundo, hoje, em Saitama, o treinador turco esqueceu as bobagens que disse no dia anterior e rasgou elogios para a Seleção Brasileira. Fez até um prognóstico positivo para o time de Luiz Felipe Scolari. “O Brasil vai ganhar com facilidade da Alemanha e será de novo campeão mundial com toda justiça”.

Apesar do reconhecimento à superioridade brasileira, Senol teve uma recaída de estrelismo na hora de comparar a sua equipe às outras duas semifinalistas – Alemanha e Coréia. “Perdemos hoje porque do outro lado estava a Seleção Brasileira. Um time que tem jogadores que fazem a diferença. Mas se a Turquia fosse para a final, com certeza também ganharia da Alemanha”.

Senol só não quis explicar o porquê de tanta desfeita para os alemães. Um jornalista turco desconfia de que se trata de ciúme, já que quatro jogadores da Turquia são alemães de nascimento. Além disso, os técnicos alemães têm muito crédito na ascensão técnica no futebol turco, já que nos anos 80 fizeram uma reformulação nas categorias de base – trabalho que rendeu a melhor geração de jogadores em todos os tempos.

Senol, porém, estava mais interessado em enaltecer a sua equipe. E garantiu que a Turquia vai vencer a Coréia na disputa pelo terceiro lugar. “Estar entre os quatro melhores do mundo é uma grande honra para qualquer país. Mas nós queríamos mais. Se não foi possível ganhar o título, vamos brigar para ficar em terceiro lugar.”

Sobre o confronto de hoje, contra o Brasil, Senol elogiou a tática de Luiz Felipe Scolari. Mas se disse decepcionado com o resultado. “Faltou experiência e sobrou respeito ao adversário. Isso fez com que a gente cometesse erros por falta de concentração. Tivemos algumas falhas defensivas e no segundo tempo acabamos perdendo também a posse de bola. Isso deu ao Brasil muitas chances de marcar.”

Apesar da frustração, Senol se disse ao mesmo tempo orgulhoso pela forma como o Brasil enfrentou a Turquia. “O Brasil tem grandes jogadores e atuou muito bem nas duas partidas, mas hoje houve mais respeito também por parte dele. Hoje o Brasil jogou mais sério, buscou a vitória com mais determinação. Se não fosse assim, acho até que a nossa sorte poderia ter sido outra.”

Já em relação ao seu discurso ufanista na véspera, Senol confirmou que estava falando sério quando disse que a Turquia tinha condições de vencer o Brasil e depois conquistar o título. “No início da Copa do Mundo imaginávamos chegar às oitavas-de-final.

Mas como o time cresceu bastante na competição, cheguei a pensar que poderíamos ganhar o título. Infelizmente, no gol do Ronaldo, um dos nossos jogadores não conseguiu cortar o passe. Além disso, tenho de reconhecer que Ronaldo teve muita competência na hora de finalizar.”