Bater os rivais diretos e ajudar a Mercedes a ficar com o título do Mundial de Construtores da Fórmula 1. Esta será a grande missão de Lewis Hamilton no GP do Brasil, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, neste fim de semana. “Nós queremos ganhar da Ferrari e da Lotus”, disse o piloto inglês, nesta quarta-feira.

Para tanto, ele precisará contribuir bom bons pontos para sua equipe, o que não conseguiu fazer nos últimos anos no Brasil. Nas últimas duas vezes na capital paulista, defendendo ainda a McLaren, sua antiga equipe, Hamilton não conseguiu sequer completar a prova, mesmo tendo conquistado a pole position em 2012.

“De fato, talvez teremos mais pressão ainda este ano”, afirmou o inglês. Para conquistar seu objetivo, Lewis terá apenas que terminar na frente dos rivais, já que a Mercedes tem 348 pontos, contra 333 da Ferrari e 315 da Lotus.

Hamilton, entretanto, não pensa no passado. “Fico muito feliz em correr no Brasil, a pista é fantástica e um dos meus pilotos favoritos era brasileiro (Ayrton Senna). Estamos sempre trabalhando para dar 110% de cada um de nós e fazer o melhor”, completou.

FUTURO – Além da última corrida do ano, Hamilton já está pensando em 2014. Assim como para a maioria dos pilotos da Fórmula 1, a questão para o ano que vem é: como bater Sebastian Vettel e a Red Bull? “Eu não sei o que acontece. Eles (a Red Bull) têm feito um trabalho incrível desde 2009. Mas eu sei que ainda posso alcançá-los”, afirmou otimista.

Em busca deste objetivo, o piloto inglês revelou que, assim que desembarcar do carro no final do GP do Brasil, começará a trabalhar em simuladores para saber o que esperar em 2014 – a temporada contará com diversas mudanças técnicas. “Será um grande desafio. Na semana que vem, vamos direto para a fábrica para trabalhar com o simulador e descobrir as novidades técnicas”.