“Nunca temo pela minha vida. Pelo emprego que tenho é melhor assim. Melhor a adrenalina. Quando os semáforos vermelhos da largada se apagam e os motores gritam, não sinto mais nada, é como se descesse o silêncio”, disse o piloto inglês Lewis Hamilton em entrevista à revista Men’s Health, confessando jamais pensar na morte quando está ao volante de sua McLaren.

Hamilton, que estreou no ano passado na Fórmula 1, afirma ser o piloto mais competitivo na pista. “Na vitória há uma mistura de caráter, determinação, paixão e talento. O medo de perder não pode me dar motivação, simplesmente porque não tenho medo de perder. Se às vezes estou um pouco nervoso é porque sei o quanto posso ir bem”, diz o atual líder do Mundial de Pilotos.

“Quando entro no cockpit e o motor liga, a adrenalina começa a correr. A partir desse momento fico em um estado mental que me faz levar o carro ao limite, até um instante antes que bata. É como estar em equilíbrio no fio de uma lâmina e permanecer assim por todo o tempo do GP”, confessa o piloto.

A condição física é fundamental para um piloto, e o número um da McLaren reafirma o quanto é difícil liderar uma competição: “Pilotar é massacrante. Se um homem normal pilotasse uma Fórmula 1 em um circuito, na nossa velocidade, usaria todas as suas forças para completar uma volta. De fato, se meu corpo não está preparado ele começa a tirar energia de minha mente. Por isso, quero me tornar o piloto mais preparado da Fórmula 1. Não há ninguém mais competitivo que eu”, concluiu Hamilton.