Em uma corrida emocionante, em que Lewis Hamilton venceu de forma irregular segundo os organizadores da prova, o brasileiro Felipe Massa, que havia chego na segunda posição, foi declarado o vencedor do Grande Prêmio da Bélgica de Fórmula 1, realizado neste domingo (7). O resultado foi um achado para Massa, que diminuiu a vantagem para Hamilton em apenas dois pontos na briga pelo título.  

Após um final de corrida instável devido à chuva, Lewis Hamilton, da McLaren, a uma volta do fim, ultrapassou o finlândes Kimi Raikkonen por uma chicane e foi punido pela organização da prova em 25 segundos no que é chamado de “drive through”. Com a punição, o inglês caiu para o terceiro lugar, atrás de Nick Heidfeld, da BMW, e de Felipe Massa, da Ferrari, que agora acumula 74 pontos no campeonato, contra 76 de Hamilton. A próxima corrida será realizada no tradicional circuito de Monza, na Itália, no próximo final de semana.

A corrida

A 13ª etapa da temporada foi decidida na penúltima volta. Raikkonen liderava a prova, quando Hamilton ameaçou ultrapassar, numa boa disputa pela primeira posição. Depois de insistir, o inglês assumiu a ponta. Na seqüência, a pista molhada, devido à chuva, deixou os carros instáveis.

Hamilton e Raikkonen rodaram na pista, sem trocar de posições. Felipe Massa, em terceiro, não aproveitou a oportunidade para passar na frente. Com mais dificuldade de manter o carro na pista, Raikkonen rodou novamente e abandonou a corrida, deixando a segunda posição para o brasileiro.   Ao contrário do GP da Hungria, Massa não largou bem em Spa-Francorchamps. Ainda com o tempo seco, na primeira volta o piloto da Ferrari foi ultrapassado por Raikkonen, que também deixou Hamilton para trás. O finlandês manteve a liderança e aumentou a distância para o inglês até a metade da prova. Após a segunda parada, Hamilton melhorou seu rendimento e reduziu a diferença para Raikkonen. Com o início da chuva, faltando seis voltas para o final, o inglês passou a perseguir o finlandês e conseguiu a ultrapassagem na penúltima volta. O brasileiro Nelsinho Piquet largou bem, pulando cinco posições, para a 7ª posição. No entanto, o piloto da Renault foi ultrapassado em seguida e acabou fora da prova ao rodar na volta 13. Rubens Barrichello também não completou a corrida.

A vitória de Hamilton foi cassada porque ele cortou uma chicane antes de ultrapassar Raikkonen. O resultado foi confirmado poucas horas após o término do GP.

Confira a classificação da corrida

1.º – Lewis Hamilton (McLaren), 1h22min44s933

2.º – Felipe Massa (Ferrari), 14s4

3.º – Nick Heidfeld (BMW), 23s8

4.º – Fernando Alonso (Renault), 28s9

5.º – Sebastian Vettel (STR), 29s

6.º – Robert Kubica (BMW), 29s4

7.º – Sebastien Bourdais (STR), 31s1

8.º – Timo Glock (Toyota), 56s5

9.º – Mark Webber (Red Bull), 57s2

10.º – Heikki Kovalainen (McLaren), 1 volta

11.º – David Coulthard (Red Bull), 1 volta

12.º – Nico Rosberg (Williams), 1 volta

13.º – Adrian Sutil (Force India), 1 volta

14.º – Kazuki Nakajima (Williams), 1 volta

15.º – Jenson Button (Honda), 1 volta

16.º – Jarno Trulli (Toyota), 1 volta

17.º – Giancarlo Fisichella (Force India), 1 volta