O Brasil passeou pela quadra do Ginásio Ney Braga, em São José dos Pinhais, ontem, onde estreou com fácil vitória no Campeonato Sul-Americano Cadete Feminino de Handebol. As brasileiras impuseram o placar de 27 a 14 sobre o Chile. Amanda Souza, do Brasil, marcou seis gols e dividiu a artilharia com a chilena Carla Morales. Paralelamente, São José está recebendo o Pan-Americano Juvenil, também nos dois naipes.

De acordo com a goleadora brasileira, que joga na ponta-direita, a seleção pode render ainda mais. “A equipe entrou nervosa, porque apenas duas atletas já haviam disputado o Sul-Americano. Faltou tranqüilidade, mas depois entramos no clima”, explicou Amanda. Paulo Nuñez, técnico do Brasil, concordou com a jogadora. “Não foi como esperávamos, porque a equipe esteve nervosa e a parte tática não saiu. Fizemos muitos gols, mas tomamos também. Como se trata de um time novo, esta ansiedade é natural e a minha avaliação do jogo é positiva”, concluiu o treinador.

No confronto que abriu o Sul-Americano Feminino, a Argentina derrotou o Paraguai por 22 a 10. A artilheira foi a pivô argentina Mariana Kubnchek, com cinco gols. No torneio masculino, os argentinos também derrotaram o Paraguai, só que com mais elasticidade no marcador: 41 a 13, com destaque para Juan Vasquez e Francisco Schianjinno, que marcaram seis vezes. O Uruguai conquistou duas vitórias nas partidas que iniciaram o Pan-Americano Juvenil. As meninas não deram chances ao Canadá, 26 a 13, e a equipe masculina passou pelo Chile com um gol a menos de vantagem (26 a 14). Os artilheiros foram os uruguaios Alejandra Ferrari (sete gols) e Andres Janacio (seis).