te61170205.jpg

Moura não deu chance à concorrência
e largou com "high score" na Cacimba.

Depois de um dia de folga geral, o Hang Loose Pro Contest 2005 foi inaugurado ontem, em ondas de 1,5m, com os tubos fechando rapidamente nas séries maiores que entravam na Cacimba do Padre, em Fernando de Noronha (PE). Mas algumas abriam e na 14.ª bateria o sul-africano Daniel Redman arrancou a maior nota da quarta-feira, 9,67.

Já o recorde de pontuação foi registrado pelo pernambucano Paulo Moura, que começou com nota 7,67 e depois recebeu nota 9,40, para somar 17,07 pontos de 20 possíveis no 18.º confronto do dia. O campeonato recomeça às 7h de hoje, com a estréia dos cabeças-de-chave da segunda etapa do World Qualifying Series (WQS) 2005. O prazo vai até domingo e a vitória na primeira prova com nível 5 estrelas da temporada vale dois mil pontos no ranking de acesso para a divisão de elite do surfe mundial, além de US$ 12 mil, dos US$ 100 mil distribuídos entre os melhores do evento.

O cabeça-de-chave número 1 deveria ser o pernambucano Paulo Moura, porém ele não fez a inscrição dentro do prazo e teve que entrar nas triagens. "Esqueci de fazer a inscrição e tive que começar mais cedo, mas estou amarradão porque consegui estrear bem, com boas ondas logo no início", contou Moura, que seguiu para enfrentar dois cabeças-de-chave da Austrália na segunda fase: Glenn Hall e Luke Hitchings. "Tomara que eu consiga repetir esta performance e que Deus continue mandando boas ondas nas baterias, para eu realizar um sonho que é fazer a final deste campeonato", reza Paulo.

Com as notas 9,40 e 7,67 que recebeu em suas duas melhores ondas, ele superou o recorde de 14,83 pontos registrado por Raphael Becker na quinta bateria, quando derrotou o australiano Heath Walker e o norte-americano Ryan Ragan. "O mar está muito difícil, mas eu consegui pegar uma onda boa abrindo, aproveitei a parede dela para fazer várias manobras e estou muito feliz de estar em Noronha", falou Becker.

Antes dele, o paraibano Jano Belo e o recém-coroado campeão mundial Pro Junior da ASP, o cearense Pablo Paulino, já haviam conquistado duas belas vitórias. "As ondas maiores estavam fechando, então minha tática foi pegar as menores para somar pontos e tirei um high-score (nota alta) ali que me deixou bem tranqüilo", contou Pablo. "Esta é a primeira vez que venho aqui para Noronha e comecei com o pé direito, pois quero ver se me dou bem no WQS neste ano e também no SuperSurf. Esses são meus objetivos para 2005", revelou Paulino, 19 anos.

Festa na areia

Já quem levantou a torcida na Cacimba do Padre foi o noronhense Patrick Tamberg, que venceu a 11.ª bateria do dia e avançou para enfrentar na segunda fase os cabeças-de-chave Rodrigo Dornelles (RS) e Jarrad Howse (AUS), além de Mike Todd (EUA). "Eu tive paciência ali para esperar as direitas e estou muito feliz pela classificação. Sempre tento me manter calmo, sem me preocupar com quem está na bateria e sim só pegar minhas ondas para tentar receber boas notas dos juízes", falou o local.

A 20.ª edição do Hang Loose Pro Contest conta com o patrocínio da Hang Loose e Nova Schin, co-patrocínio da Reef, Arnette e da Brisbane, apoio do Governo do Estado de Pernambuco, Administração da Ilha de Fernando de Noronha.