O auxiliar técnico da Argélia, Nourredine Kourichi, acredita que a seleção de seu país não deve ficar exclusivamente preocupada com algum jogador específico da Bélgica, contra quem estreia na Copa do Mundo, nesta terça-feira, em Belo Horizonte. Em virtude disso, não haverá marcação individual no meia belga Eden Hazard, o grande destaque da equipe europeia.

“Se focarmos em Hazard, pode ter algumas surpresas desagradáveis”, disse Kourichi, em entrevista neste domingo, em Sorocaba, no interior paulista. “Sabemos da qualidade e dos pontos fracos dele, mas não podermos nos limitar nele porque há outros bons jogadores, como Lukaku”, disse o ex-jogador argelino, que disputou os Mundiais de 1982 e 1986.

Kourichi não vê a Argélia chegando ao confronto como o azarão. “Quando você tem vontade, ousadia e talento, tudo é possível. Na terça-feira, os dois times têm chance. Não vai ser um time pequeno contra um grande”, afirmou o auxiliar do treinador bósnio Vahid Halilhodzic.

Kourichi já foi protagonista de uma zebra histórica. Ele esteve em campo na estreia de seu país em Copa do Mundo, em 1982, quando a Argélia venceu a Alemanha Ocidental por 2 a 1 no primeiro jogo do Grupo B. “Naquele momento, éramos uma país pouco desenvolvidos no futebol contra a gigante Alemanha, que ganhou a Eurocopa de 1980. Pensavam que íamos perder de 5 ou 6 a 0, mas nossa qualidade técnica fez a diferença contra a força do rival”, lembra o ex-defensor.