O Miami Heat, atual campeão da NBA, esteve muito perto de perder o reinado da liga norte-americana de basquete para o San Antonio Spurs, na noite de terça-feira, no retorno da série decisiva para a Flórida. Mas com uma grande reação de LeBron James no último quarto e uma bola milagrosa do veterano Ray Allen nos instantes finais, o Heat conseguiu levar o duelo para a prorrogação e vencer por 103 a 100 após empate por 95 a 95 nos quatro períodos. Assim, empatou a série decisiva em 3 a 3 e forçou a realização do jogo 7, na próxima quinta-feira, que será disputado mais uma vez na American Airlines Arena, às 22 horas (de Brasília).

O Spurs foi carregado, durante grande parte do duelo, por uma excelente atuação do veterano Tim Duncan. Os texanos chegaram ao último período com uma vantagem de dez pontos no placar (75 a 65) e pareciam estar perto de garantir o quinto título da NBA, mesmo atuando fora de casa.

Mas, no quarto decisivo, apareceu a estrela de LeBron. O ala, que estava apagado na partida até então, com apenas 14 pontos, anotou 16 no último período e ajudou o Heat a virar o placar. O Spurs ainda conseguiu retomar a ponta, com Tony Parker, mas Allen quem garantiu a ida do jogo para a prorrogação. O ala igualou o jogo em 95 a 95 faltando apenas 5s2 para o encerramento do período.

Na prorrogação, o Heat manteve a reação, embora LeBron tenha feito apenas dois pontos nos cinco minutos finais. Mesmo assim, o ala, escolhido o MVP da temporada regular da NBA, terminou o duelo com um “triple-double” ao somar 32 pontos, 11 assistências e 10 rebotes. Mario Chalmers marcou 20 pontos e também se destacou pela equipe da Flórida, enquanto Chris Bosh somou 11 rebotes e 10 pontos.

Pelo lado dos Spurs, o pivô Duncan, de 37 anos, foi o principal destaque, com 30 pontos e 17 rebotes. O ponto negativo da equipe texana, porém, foi o argentino Manu Ginóbili. Depois de uma excelente atuação no jogo 5, liderando a vitória de sua equipe, ele ficou em quadra por 34 minutos, mas marcou apenas nove pontos e foi responsável por 8 das 13 perdas de posse de bola do time de San Antonio. Já o brasileiro Tiago Splitter somou apenas cinco pontos e um rebote nos oito minutos em que atuou. Kawhi Leonard somou 22 pontos e 11 rebotes, mas errou um lance livre decisivo nos instantes finais do último quarto.

O início da partida foi bastante equilibrado, com Duncan liderando o Spurs, enquanto o Heat apostava mais no jogo coletivo e arremessos de fora do garrafão. Assim, a equipe acabou o primeiro quarto vencendo por 27 a 25.

No segundo período, Splitter substituiu Duncan por alguns minutos, mas teve atuação decepcionante, com apenas um ponto e duas faltas cometidas. Logo, então, Duncan voltou à quadra para comandar a sua equipe, que aproveitou a atuação apagada de LeBron e Dwyane Wade, que fizeram 15 pontos juntos nos dois quarto iniciais, para fechar o primeiro tempo vencendo por 50 a 44, apesar de Chalmers ter anotado 14 pontos pelo Heat.

Com Duncan inspirado, ao contrário de LeBron e Wade, o Spurs seguiu superior no terceiro quarto, chegou a abrir 13 pontos e terminou o período vencendo por 75 a 65. O Heat, porém, reagiu logo no começo do quarto período ao fazer duas cestas de três, com Chalmers e Mike Miller. Além disso, LeBron passou a liderar a equipe.

O astro, porém, cometeu dois erros na parte final do duelo, o que levou o Spurs a assumir a liderança do placar em 94 a 89 quando faltavam 28 segundos para o encerramento do duelo. Allen, no entanto, salvou a equipe de Miami ao converter um arremesso de três nos instantes finais do duelo, assim como LeBron havia feito pouco antes, o que provocou a realização do tempo extra.

Na prorrogação, Spurs e Heat pareciam tensos e cansados, o que provocou vários erros de ambas as equipes. Mas o time de Miami conseguiu a vitória por 103 a 100. LeBron acertou uma bandeja a 1min43 do fim, Allen acertou dois lances e o triunfo foi sacramentado com um toco de Bosh em Danny Green nos instantes finais, forçando a realização do sétimo jogo na decisão da temporada 2012/2013 da NBA.