O prestígio do árbitro paranaense Héber Roberto Lopes com o presidente da comissão nacional de arbitragem, Armando Marques, não é mais o mesmo. Ontem à tarde, o dirigente anunciou a ida de Héber para a “geladeira” em função da malfadada atuação na partida entre Internacional e Vasco da Gama, na última quarta-feira. Marques classificou Héber de “arrogante, imperialista e nariz em pé”. Além do comportamento questionável, o pênalti a favor do Internacional foi considerado mal marcado.

Ao que parece, o árbitro paranaense vive seu inferno astral. Há pouco mais de um mês, ele recebeu um punição de um mês de suspensão devido ao seu comportamento em uma partida também do Vasco da Gama, só que contra o Goiás, pela Copa do Brasil. Na ocasião, ele dirigiu-se de forma inconveniente ao meia Marcelinho Carioca e as palavras foram captadas por câmeras de televisão. O caso foi levado a julgamento e ele pegou uma suspensão de 30 dias. A partida de quarta-feira era o segundo jogo desde a volta de Héber e ele já voltou a geladeira, desta vez por tempo indeterminado. O árbitro não foi encontrado para comentar o caso.