Hélio Castroneves disse acreditar que o desconhecimento das equipes sobre o circuito de rua do Anhembi coloca a Penske em vantagem na luta pela vitória da etapa de São Paulo, que abre a temporada 2010 da Fórmula Indy. O piloto brasileiro aposta na qualidade dos companheiros – os australianos Ryan Briscoe e Will Power – e na tradição de sua equipe para conquistar um bom resultado neste domingo.

“Estar na Penske ajuda pelo fato de ter pouco tempo de treino. É muito bom ter dois companheiros bons para coletar mais informações, o que ajuda a desenvolver o carro mais rápido”, avaliou Helinho, que viu o companheiro Will Power ser o piloto mais rápido nos treinos livres deste sábado. O brasileiro ficou com o 10º melhor tempo do dia, seguido justamente por Ryan Briscoe.

O também brasileiro Vítor Meira, piloto da tradicional equipe A.J. Foyt, se vê em situação contrária – não tem companheiro nesta etapa do campeonato. Ele foi apenas o 16º colocado nos treinos livres deste sábado e reconhece que terá dificuldades para conseguir um bom resultado. “Eu e a equipe temos muito a melhorar. Com um carro só, as coisas ficam mais lentas para evoluir”, disse.

Chefe da equipe De Ferran/Luczo Dragon, o ex-piloto brasileiro Gil de Ferran disse que a corrida em São Paulo serve de aprendizado para a sequência da temporada da Indy. “Somos uma equipe jovem, estamos aprendendo. A gente ainda peca pela falta de experiência. Começamos bem e depois tomamos um caminho errado. Mas achamos uma direção melhor no terceiro treino”, afirmou.