Rio de Janeiro – O grego Polyvios Kossivas, que ajudou Vanderlei Cordeiro de Lima na maratona das Olimpíadas de Atenas, desembarca no Brasil na noite de hoje. A convite do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), ele vem ao País para reencontrar Vanderlei, em solenidade na terça-feira, no Rio, durante a entrega do Prêmio Brasil Olímpico.

Com todas as despesas pagas pela COB, Polyvios Kossivas virá ao Brasil com sua esposa e filha. Eles ficarão hospedados em um hotel em Copacabana, zona sul do Rio, onde a diária de um apartamento com duas suítes custa cerca de R$ 1 mil. A entidade, inclusive, colocará um assessor à disposição do grego e sua família.

Até terça-feira, Polyvios Kossivas terá dias de turista no Brasil, já que seu único compromisso, além da festa do COB, é participar de uma entrevista coletiva no sábado. Tanto que ele já avisou que deseja ir ao Corcovado, ao Pão-de-Açúcar e quer até conhecer Pelé. O encontro com o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, foi cancelado, porque o dirigente permanece internado na unidade coronariana do Hospital Samaritano e ainda não pode receber visitas – sofreu cirurgia cardíaca na última segunda-feira. E Vanderlei, que está treinando em Maringá, chega ao Rio apenas na terça.

Aos 54 anos, Polyvios Kossivas, um ex-jogador e árbitro de basquete, virou personagem da maratona dos Jogos de Atenas, realizada no dia 29 de agosto, ao livrar Vanderlei Cordeiro de Lima do ataque do ex-padre irlandês Cornelius Horan. Com a ajuda do "herói" grego, o brasileiro continuou a prova e conquistou medalha de bronze.