De desconhecido atacante do Audax-RJ a novo xodó do Botafogo em menos de um mês. É essa a realidade do jovem Hyuri, que chegou ao clube no meio de agosto e já caiu nas graças da torcida, principalmente após o gol heroico, aos 44 minutos do segundo tempo, que garantiu a vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians na última quarta-feira, no Maracanã. O jogador de 21 anos, no entanto, mostra personalidade e pondera sobre o sucesso repentino.

“Não conquistei nada, fiz dois bons jogos, o que não ganha campeonato algum. O que ganha título é grupo e equipe. Na minha cabeça e na da minha família, não conquistei nada. Vai dar resultado lá na frente, mas o começo é agora”, declarou o jogador, que já havia se destacado na vitória por 3 a 1 sobre o Coritiba, quinta passada, quando marcou dois gols.

A rápida mudança na realidade parece não mexer com o jogador, que afirma seguir com a cabeça no lugar. “Tudo começa em casa e na infância, com pai, mãe e irmão. Não vai ser agora no Botafogo que vou deixar de lado. Sou muito tranquilo porque não quero dar mole ou vacilar. É a minha primeira oportunidade, estou encarando como a oportunidade, trabalhando para não deixar subir à cabeça.”

Tanto contra o Coritiba quanto diante do Corinthians, Hyuri se destacou em seu palco preferido: o Maracanã. Nascido no Rio, o jovem que agora brilha no gramado lembrou da época em que ia assistir aos seus ídolos no estádio.

“Antes de jogar, fui algumas vezes ao Maracanã, não ia sempre. Mas o estádio tem boas histórias que não saem da memória do torcedor. Minha relação tem sido muito boa, me sinto muito à vontade. Vem dando certo. A energia que a torcida passa, de tão perto, é muito forte. Isso deixa a gente bem à vontade para ir para cima, sem medo, controlar os jogos e buscar a vitória”, apontou.