Campeão da edição de 2002 de Wimbledon, Lleyton Hewitt deve realizar a sua última aparição na chave principal do Grand Slam londrino ao receber, nesta quarta-feira, um convite para jogar o tradicional torneio no All England Club.

O australiano, de 34 anos, admitiu que deve ser aposentar após a disputa da próxima edição do Aberto da Austrália, em janeiro de 2016. Ex-número 1 do mundo, Hewitt ganhou apenas uma partida neste ano e caiou para a 117ª colocação no ranking da ATP.

“Obrigado Wimbledon pelo convite”, escreveu Hewitt no Twitter, rede de microblogs na internet. “É uma honra jogar mais uma vez em um lugar tão grandioso! Grandes lembranças”, completou.

Além de Hewitt, o francês Nicolas Mahut e três tenistas britânicos – Lim Broady, Kyle Edmund e James Ward – receberam convites nesta quarta-feira para a chave principal de Wimbledon. Mahut conquistou o terceiro título da sua carreira na semana passada ao levar a taça do Torneio de Hertogenbosch, na Holanda, disputado em quadras de grama, mesmo piso do Grand Slam londrino.

O francês também perdeu o jogo mais longo da história do tênis, na primeira rodada de Wimbledon de 2010, quando foi batido pelo norte-americano John Isner após uma maratona de 11 horas e 5 minutos, que terminou com o incrível placar de 70/68 no quinto set.

Além disso, os organizadores de Wimbledon anunciaram quatro convites para a chave feminina. Foram chamadas as britânicas Nomi Broady e Johanna Konta, a estoniana Anett Kontaveit e a letã Jelena Ostapenko. Mais convites serão anunciados antes do início do torneio, marcado para 29 de junho.