Quando os convocados da Inglaterra para a Copa do Mundo foram anunciados, há cerca de um mês, a expectativa de um bom rendimento era tão pequena que o foco já parecia ser a Eurocopa de 2016, que será na França. Com apenas uma vitória nas últimas três partidas antes do início do Mundial, o técnico Roy Hodgson agora tenta acalmar os ânimos dos críticos com o argumento de que o elenco renovado pode surpreender.

O técnico inglês aposta em nomes de jovens como Adam Lallana, Ross Barkley e Raheem Sterling para apresentar um estilo de jogo ofensivo e vertical – na contramão do que se vê futebol contemporâneo – e conquistar o título que não vai para o país desde 1966.

“Certamente (com a juventude) ganhamos mais físico, mais velocidade e mais mobilidade. Temos muitos jogadores técnicos”, disse, acrescentando que enxerga um futuro com momentos interessantes para os ingleses. “Nesta Copa do Mundo também temos os nossos jogadores experientes para ajudar os mais jovens”, completou.

Concentrada no Rio de Janeiro, a Inglaterra estreia contra a Itália neste sábado, na Arena Amazônia, em Manaus. Cinco dias depois, pela segunda rodada do difícil Grupo D, terá pela frente o Uruguai, no estádio Itaquerão, em São Paulo. A participação dos comandados de Hodgson na primeira fase da Copa terminará no dia 24 contra a Costa Rica, no estádio Mineirão, em Belo Horizonte.