O técnico Roy Hodgson foi prático ao analisar a chance de a Inglaterra passar de fase no Grupo D da Copa do Mundo, após estrear perdendo por 2 a 1 para a Itália, no sábado à noite. O Uruguai, na quinta-feira, e a Costa Rica, no dia 24, são adversários que o treinador sabe que sua equipe precisa bater para alcançar as oitavas de final, o que significa que não depende de ninguém para se classificar.

“O fato é que, se você perde o primeiro jogo, provavelmente vai precisar vencer os outros dois. Os times contra quem você joga também precisam ganhar. Itália e Costa Rica largaram na frente, nós e o Uruguai começamos com o pé errado. Pelo menos nosso destino está em nossas mãos”, analisou Hodgson após a partida, realizada na Arena Amazônia, em Manaus.

O técnico lamentou o resultado, mas tirou pontos positivos do jogo. “Nunca é fácil ver o lado bom quando você perde, mas acho que todos temos de digerir o que aconteceu em campo. Meu sentimento é o de que fizemos boas coisas e tivemos bons desempenhos individuais”, afirmou o treinador, elogioso aos jogadores jovens que entraram em campo.

“Acho que os atletas mais novos foram bem. Nenhum deles desapontou a mim ou ao país deles”, opinou Hodgson, que iniciou o jogo com Henderson, Sterling, Welbeck e Sturridge, todos com idades entre 19 e 24 anos e estreantes em Mundiais, bem como Barkley e Wilshere, que entraram no segundo tempo. Dos medalhões do elenco, Gerrard e Roooney foram titulares e atuaram os 90 minutos, enquanto Lampard não saiu do banco de reservas.