Demorou, mas a briga da diretoria do Atlético com a imprensa de Curitiba começa a beirar a violência. Ontem à noite, no intervalo da partida contra o Furacão, um dos seguranças particulares do clube empurrou um dos repórteres de rádio que tentava entrevistar o atacante Éderson. Por pouco os dois não chegaram às vias de fato. Frise-se que a ação do segurança contratado pelo Rubro-Negro foi irregular, já que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) proíbe que estes profissionais fiquem dentro do gramado durantes os jogos do Campeonato Brasileiro.

Depois de impedir que o repórter fizesse a entrevista, o segurança do Atlético foi defendido por três policiais militares que estavam próximos da confusão. Depois da discussão, os ânimos se acalmaram e foi a vez da torcida do Furacão se manifestar. Com palavrões, boa parte dos torcedores atleticanos xingou os profissionais de imprensa que estavam envolvidos na confusão causada pelo segurança particular do Atlético.