O julgamento do zagueiro brasileiro Breno, do Bayern de Munique, acusado de ter provocado o incêndio que destruiu sua própria casa em setembro de 2011, teve início hoje. O jogador corre o risco de ser condenado a 15 anos de prisão.
Breno foi acusado pela Justiça alemã de ter incendiado intencionalmente sua casa, em um bairro de luxo de Munique, na madrugada de 20 de setembro de 2011.

De acordo com a acusação, que se remete às investigações realizadas na casa, Breno se encontrava sob efeito de álcool e, provavelmente, utilizou seu próprio isqueiro para atear o fogo em sua residência. Na oportunidade, Breno sofreu uma leve intoxicação com a fumaça. A esposa, seu filho e outras duas crianças de uma primeira relação não estavam na casa na noite do incêndio, que provocou danos avaliados em um milhão de euros.

A promotoria considera que o jogador não podia estar todo seguro que sua esposa e seus filhos não tinham retornado à casa até então. A esposa e seus filhos se encontravam em uma casa vizinha. No Bayern desde janeiro de 2008, Breno chegou a ser detido após o incêndio, mas ganhou liberdade após o pagamento da fiança.

O São Paulo já admitiu o interesse na contratação do jogador, mas descartou a possibilidade em virtude da situação jurídica do atleta. O contrato de Breno com o Bayern de Munique vai até 30 de junho deste ano. Em abril, o jornal italiano “Corriere dello Sport” publicou que o jogador estava próximo de um acerto com a Lazio.