Niigata

(AE) – Em clara demonstração de que tem tudo para ser uma das grandes forças da 17ª Copa do Mundo, a seleção inglesa venceu a dinamarquesa por 3 a 0, ontem, em Niigata, classificando-se para as quartas-de-final da competição sexta-feira próxima, às 3h30 (de Brasília), em Shizuoka contra Brasil ou Bélgica.

Diante de um adversário credenciado pelo primeiro lugar no Grupo A, em que superou os campeões mundiais Uruguai e França e a revelação Senegal, a Inglaterra impôs sua autoridade, credenciada pelo talento de Beckham e Owen e um grupo de bons coadjuvantes.

Só quando já perdia por dois gols de diferença os dinamarqueses exibiram algo do que mostraram nos jogos anteriores, mas sem uma centelha de talento para transformar em gols o eficiente, porém mecânico, toque de bola. Ainda por cima, cometendo falhas no sistema defensivo, bem aproveitadas pelo adversário.

Brasil ou Bélgica

“Não se esqueça da Bélgica”, disse um educado David Beckham após o jogo das oitavas-de-final contra a Dinamarca, neste sábado. A pergunta era sobre as dificuldades de se enfrentar o Brasil. A seguir, sua resposta continuou e deixou no ar a certeza de que a Inglaterra sabe que é contra o Brasil que deve decidir seu futuro no Mundial. “O Brasil é um dos melhores times do Mundo, mas a Bélgica é muito bem organizada. São dois times muito difíceis”.

O treinador da Inglaterra, o sueco Sven-Goran Eriksson, seguiu na mesma linha de resposta. “São duas escolas muito diferentes. O “futebol-samba” e uma escola européia. Não podemos ficar pensando em quem vai ser. Nossa preparação não será diferente se enfrentarmos Brasil ou Bélgica. Temos de trabalhar duro, melhorar no que podemos melhorar para fazer um grande jogo”.

Owen comemorou muito o gol marcado contra a Dinamarca, seu primeiro na Copa. “Fazia tempo (que não marcava) e esse gol me deixou muito feliz. Ainda não sei contra quem vamos jogar, mas posso dizer que o Brasil é um time muito perigoso. Sinto que estamos crescendo, ficando mais fortes e tenho confiança de que poderemos chegar à final”.