Citando fontes da polícia britânica, o jornal espanhol Mundo Deportivo revelou ontem que Diego Maradona correu risco de vida antes de sua estréia como técnico da Argentina, na quarta-feira passada, no amistoso contra a Escócia.

Segundo a reportagem, o torcedor inglês Ian Wellworth, de 43 anos, foi preso na porta do Estádio Hampden Park, em Glasgow, portando um facão. Sua intenção era cortar a cabeça do Pibe.

Ainda de acordo com a publicação, Wellworth saiu de Middlesbrough disposto a matar Maradona na Escócia pelo seguinte motivo: em 1986, o inglês foi à falência por ter apostado na Inglaterra contra a Argentina e ainda foi abandonado pela esposa. Naquele ano, Diego fez gols de placa e de mão para eliminar o English Team na Copa do Mundo, disputada no México.

O Mundo Deportivo destaca que o torcedor tem “evidentes problemas psicológicos”. Ian foi expulso da Escócia e poderá pegar até 5 anos de cadeia por causa do episódio.

Sem saber o que acontecia do lado de fora do estádio, Maradona comandou, do banco de reservas, os jogadores argentinos na vitória por 1 a 0, gol de Maxi Rodrigues, em seu 1.º jogo à frente da seleção alviceleste.

Seleção da Libertadores

Os jogadores Luís Fabiano (Sevilla e ex-São Paulo), Washington e Thiago Silva (Fluminense) aparecem no time ideal das últimas edições da Libertadores e estão convocados para uma equipe, treinada por Pelé, que enfrentará em um amistoso uma seleção ou clube europeu ainda a ser definido.

Os atletas aparecem em uma lista elaborada por torcedores e funcionários de um banco, principal patrocinador do torneio, divulgada ontem em um evento realizado no Museu do Futebol Sul-Americano e Teatro de Convenções da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), em Luque, no Paraguai, onde hoje será realizado o sorteio da próxima edição da Libertadores.

Além dos três brasileiros, a equipe ideal do torneio conta ainda com dois argentinos, Roberto Abbondanzieri e Martín Palermo; um colombiano, Falcão García; dois chilenos, Alexis Sánchez e Gary Medel; um equatoriano, Guerrón; um mexicano, Borgetti, e um uruguaio, Sebastián Abreu.