Insatisfeito no Santos, o zagueiro Fabão deve deixar o time da Vila Belmiro nos próximos dias. Com um dos salários mais altos do elenco – fala-se que seria aproximadamente R$ 150 mil por mês -, o jogador pediu para não fazer parte da apresentação do elenco para a temporada pouco antes do início do amistoso contra a Portuguesa Santista, domingo passado, no Pacaembu.

“Fabão e o Santos concordam que o melhor para ambas as partes e que se chegue a um acordo para a rescisão do contrato. Será para bom para ele. Fabão sentiu que não será titular e para um zagueiro com 32 anos, com uma carreira como a sua, é ruim não jogar”, explicou o supervisor de futebol, Ocimar Bolicenho.

O zagueiro foi substituído por Astorga no time reserva no segundo coletivo do ano, quinta-feira da semana passada, e percebeu que dificilmente terá uma oportunidade de jogar entre os titulares.

“Para o Santos também é o interessante o acerto porque Fabão tem salário elevado para ser um reserva”, ponderou o dirigente. Bolicenho faz questão de esclarecer que não houve rebeldia ou ato de indisciplina de Fabão. “Ele pediu para ir a Goiás no fim de semana para assinar uma escritura de uma sua propriedade. Enquanto não surgir um interessado, ele vai continuar cumprindo o seu contrato com o Santos”.