Internacional e Santos fazem um jogo de campeões pela quinta e penúltima rodada da fase de grupos da Copa Libertadores, nesta quarta-feira, às 21h50, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. Líder do Grupo 1, com nove pontos, o atual campeão da competição aposta no talento de Neymar e Paulo Henrique Ganso para repetir a grande atuação da vitória por 3 a 1 da partida de ida, na Vila Belmiro, no dia 8 de março.

Empatados com o The Strongest, da Bolívia, em segundo lugar com sete pontos, os gaúchos, mesmo desfalcados de três importantes titulares – Guiñazu, D’Alessandro e Oscar – prometem anular as principais peças santistas e dar o troco para não correr o perigo de não passar da primeira fase.

“A vitória é importante para a nossa classificação, além de complicar a vida do Internacional, que é um adversário tradicional e forte”, disse Paulo Henrique Ganso, nesta terça, na saída da delegação do Centro de Treinamento Rei Pelé para o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, onde embarcou para a capital gaúcha.

Para o meia, o Santos vai precisar jogar com inteligência para encontrar os espaços e chegar à vitória. “Os três desfalques deles vão fazer um pouco de diferença, mas mesmo assim vamos ter dificuldades porque o técnico deles (Dorival Júnior) conhece bem a nossa equipe e, além disso, a pressão da torcida vai ser grande”.

A dúvida do treinador Muricy Ramalho para escalar o time foi desfeita no treino desta terça com a confirmação de Henrique como segundo volante, enquanto Adriano, que nem apareceu no campo, apenas fez exercícios em aparelhos, mas viajou com o time. Elano também não treinou porque foi com a mulher ao Rio de Janeiro para depor no processo que movia contra a atriz Nívea Stelmann e que foi arquivado após a audiência desta terça. O volante se juntou ao grupo à noite, em Porto Alegre.

Com essa formação definida por Muricy Ramalho, o time se torna mais forte ofensivamente, em razão de os laterais, principalmente Juan, terem liberdade para ir ao ataque. O técnico considera Henrique perfeito na cobertura pelos lados do campo, embora com a sua escalação, Arouca seja obrigado a trabalhar mais na marcação.

“Juan sempre foi mais armador do que jogador de marcação, tanto no Flamengo como no São Paulo. Como o Santos tem Neymar que ocupa o lado esquerdo, ele entra pelo meio e também ajuda na armação e chega à frente para finalizar. Juan se encaixou bem no nosso esquema de jogo. E como Henrique faz bem a cobertura dos laterais, não corremos riscos”, explicou o treinador. No último treino antes do jogo, Muricy Ramalho posicionou o time em campo e depois orientou jogadores de defesa e atacantes em jogadas de bolas áreas.

INTERNACIONAL – O Internacional tenta tomar a liderança do Santos no Grupo 1 da Libertadores em confronto direto nesta quarta. Se perder, no entanto, corre o risco de cair para a terceira posição, caso o The Strongest, que também tem sete pontos, ganhe do Juan Aurich, ainda sem pontos, no Peru, nesta quinta.

O time colorado não contará com três titulares do meio de campo. O combativo Guiñazu e o habilidoso D’Alessandro estão contundidos. Já Oscar depende está afastado enquanto Internacional e São Paulo discutem quem é o detentor do seu vínculo.

Com tantos desfalques, o técnico Dorival Júnior optou por dar a dois volantes de marcação, Elton e Sandro Silva, a missão de controlar Neymar e seus companheiros e entregou a tarefa da criação para Tinga, que jogará mais adiantado, Dátolo e Dagoberto. Leandro Damião será a referência na área adversária para os movimentos de ataque. O treinador adiantou que o Internacional não fará marcação individual.