Os números comprovam em campo o bom desempenho do técnico Juan Ramon Carrasco no comando do Atlético. Porém, a boa campanha do treinador uruguaio contrasta com as invenções e improvisações que ele aplica no time rubro-negro. Até agora, em três meses à frente do Furacão, atacante já jogou de lateral, meio-campo de volante e, por último, zagueiro atuou como atacante.

No empate diante do Corinthians Paranaense, fora de casa, no domingo passada – resultado que praticamente minou as chances de o Furacão conquistar do segundo turno do Paranaense -, Carrasco voltou para o segundo tempo com o zagueiro Manoel para fazer a função de atacante. A justificativa do comandante atleticano, porém, não pareceu ser convincente, já que Manoel entrou para aumentar o poder de fogo do Atlético no jogo aéreo ofensivo e teve apenas uma chance de balançar a rede. “Não temos centroavantes altos e o Manoel tem um bom jogo aéreo”, explicou Carrasco.

Acostumado a não repetir as escalações de um jogo para o outro, o treinador do Furacão mostrou, desde a primeira partida no Rubro-Negro, que gosta de inovar. Paulo Otávio, então lateral-esquerdo, atuou diante do Londrina na lateral-direita. Outro lateral que deixou sua função por opção do treinador foi Gabriel Marques, que saiu da direita para jogar na zaga atleticana.

No setor ofensivo, o atacante Pablo deixou de ter a missão de fazer os gols para jogar na lateral-direita ou como volante. Já o meio-campo Marcinho, responsável pela criação e organização das jogadas de perigo do Furacão, tem sido usado como atacante por Carrasco nos últimos jogos.

Nas invenções do treinador atleticano, sobrou até para Paulo Baier – camisa 10 e ídolo da torcida atleticana. O experiente jogador, que vem atuando apenas em partidas realizadas em Curitiba, já chegou a ser utilizado como primeiro volante no setor de contenção do time. Também no setor de marcação no meio-campo do Atlético, o lateral-esquerdo Héracles já atuou como volante.

Carrasco, que nos treinamentos também explora bem a versatilidade do seu elenco, aproveitou essa característica que é marcante no zagueiro Bruno Costa. Utilizado também na lateral-esquerda, o jogador, sob o comando do treinador atleticano, foi aproveitado na lateral-direita nesta temporada. Para completar o pacote de invenções de Juan Ramón Carrasco, o volante Renan Foguinho jogou neste ano como zagueiro.