Mais um treinador perdeu o emprego no futebol paranaense. Mesmo sem tempo de mostrar serviço, em três etapas do Estadual 2007, dois técnicos já ?rodaram? em seus clubes. Val de Mello foi a última vítima. Ele não suportou a derrota do Iraty, em casa, para o Atlético, por 2 a 1, e deixou o comando do Azulão. Em seu lugar assumiu Gilberto Pereira, que havia pedido demissão do Coritiba, na última quinta-feira.

O técnico foi confirmado pela diretoria do Iraty na tarde de ontem e já trabalhou com o elenco. O novo preparador físico é o professor João Carlos, que estava treinando a equipe de juniores.

O próximo compromisso do Iraty será contra o Rio Branco, às 16h de quarta-feira, em seu estádio.

Antes de implementar sua filosofia de trabalho, porém, Gilberto terá a missão de apaziguar o ânimo exaltado de alguns jogadores. Após a derrota para o Atlético, o clima esquentou no vestiário do Azulão. Os jogadores reclamaram muito do presidente Sérgio Malucelli, que deu uma verdadeira ?babada? na equipe. ?Nosso time é bom, mas acontecem algumas coisas fora de campo que ninguém fica sabendo. O presidente vem aqui, fala qualquer coisa e deixa muitos jogadores insatisfeitos. Amanhã ele vem apertar a nossa mão como se nada tivesse acontecido?, disparou o atacante Ricardinho.

O lateral Ayrton explicou melhor a situação. ?Ele entrou falando que quem não mostrasse vontade de jogar que fosse embora. Só sabe vir aqui para reclamar. Tem que agir como presidente e não como torcedor?, reclamou.

O Azulão busca sua segunda vitória no campeonato. A equipe ocupa atualmente a 10.ª posição.

?Seremos mais atrevidos?

O Paraná-Online procurou ontem por duas vezes o novo treinador do Azulão.

Na primeira tentativa, um funcionário do Iraty atendeu, e pediu desculpas: ?O Gilberto tá no campo, trabalhando o time. Liga depois?. Após o treinamento, já no começo da noite, o técnico bateu um rápido papo com a reportagem. Falou do seu novo ?e já conhecido? clube, e disse que ?não queria polemizar contra seu último empregador? – o Coritiba. ?Lá tem muitos soldados…?

Paraná-Online – Como foi seu acerto com o Iraty?
Gilberto Pereira – Fui convidado hoje (ontem) pela manhã. Estava de folga em Campo Mourão, no aniversário do meu filho. Mas voltar para o Iraty é sempre um prazer. Passei quatro anos aqui e permaneci apenas um ano fora. Tenho um bom relacionamento com todos. Conheço toda a comissão técnica.

Paraná-Online – Após uma derrota em casa, o que fazer para motivar a equipe, num curto espaço de tempo para trabalhar – o Iraty joga amanhã novamente em casa, contra o Rio Branco…
Gilberto – Motivação todo mundo tem. O time é bom, tem qualidade. Não foi montado às pressas. Aqui há um planejamento e tenho certeza de que os jogadores vão se portar bem. Não é uma derrota que vai abalar essa equipe.

Paraná-Online – O senhor enfrentou o Rio Branco no comando do Coritiba e perdeu. Qual a fórmula para vencer?
Gilberto – Fórmula não tem. Mas vamos ser mais atrevidos, jogar com força. Vai ser um jogo muito bom, juventude contra juventude. Mas temos que pressionar. Jogamos em casa e é muito importante a vitória, pois temos partidas fora de casa na seqüência. A equipe é boa e tem tudo para se classificar.

Paraná-Online – Depois de sair do Coritiba, o senhor falou que encontrou amadorismo na direção do clube. O que espera encontrar no Iraty?

Gilberto – Não quero polemizar. Não falei da direção do Coritiba. O clube administrativamente e no financeiro está muito bem.

O departamento de futebol, que teria que ser o carro chefe, é que está muito aquém do que esperava encontrar.

Aqui no Iraty é diferente.

Não tem muitas pessoas que mandam. Você fala direto com o presidente. Lá havia muitos soldados.