O havaiano Andy Irons pode ser campeão por antecipação do WCT, o Circuito Mundial de Surfe, se vencer a etapa Brasil, que começa hoje em Saquarema, na Região dos Lagos, caso seu adversário direto na luta pelo título, o australiano Luke Egan, não obtiver boa classificação. Irons chegou ao Rio, reclamando de cansaço da viagem. Ele espera que as correntezas da Praia de Itaúna, local da competição, mudem hoje. “As ondas estão muito pesadas”, observou Irons.

A frente fria trouxe ressaca ao Rio e deixou o mar de Saquarema muito agitado, com ondas que quebravam sem uniformidade, não muito adequadas para o surfe. A expectativa é de que as condições do mar melhorem nesta quinta-feira. As provas em Saquarema serão disputadas até domingo. Depois, até o fim do ano, haverá mais duas etapas. “Não me considero favorito. O nível dos competidores é excelente”, prosseguiu o mais badalado visitante de Saquarema.

Ele acabou atraindo quase toda a atenção do dia, com a ausência inesperada do norte-americano Kelly Slater, hexacampeão mundial, que se havia retirado das competições após a conquista do sexto título, em 1998, mas que não suportou a distância e resolveu voltar ao circuito. Slater não embarcou para o Rio por causa de problemas médicos. Sua assessoria enviou e-mail nesta quarta-feira à organização do evento, para explicar a situação.

Brasileiros

Entre os brasileiros que vão participar da etapa em Saquarema, o melhor colocado no ranking do WCT é o paranaense Peterson Rosa, em 17.º lugar, seguido pelo catarinense Neco Padaratz, que chegou à final das duas últimas etapas com Irons. Padaratz levou a melhor na penúltima etapa, vencendo-o em Hossegor, na França. Na mais recente, em Mundaka, na Espanha, Irons obteve o primeiro lugar.

Enquanto surfistas e admiradores do esporte chegam para acompanhar a competição, a prefeitura de Saquarema agradece. A cidade, a 100 quilômetros do Rio, tem 60 mil habitantes e deve receber até domingo quase o dobro de visitantes. Hotéis e pousadas estão lotados e a saída para dar acomodação a todos foi a locação de quartos em casas de moradores e veranistas.

Nova geração está na área

A legião brasileira na etapa de Saquarema do WCT, a divisão de elite do surfe mundial, estará composta por 16 atletas. Além dos dez que disputam o WCT e dos quatro nomes anteriormente divulgados – Raoni Monteiro e Tânio Barreto como convidados e Léo Neves e Danilo Costa como substitutos de surfistas machucados -, os cariocas Alexandre Almeida e Marcelo Trekinho foram confirmados ontem.

Trekinho e Dadazinho, como Alexandre é conhecido, substituem o havaiano Kalani Robb, que machucou o tornozelo surfando no Havaí, e o americano Kelly Slater, hexacampeão mundial, que permaneceu na Inglaterra se recuperando de um forte resfriado.