“Saio satisfeito.” Foi com uma resposta quase monossilábica que Muricy Ramalho disse não ter se frustrado com a vitória por 4 a 2 sobre o Emelec após terminar o primeiro tempo ganhando por 3 a 0, na noite de quinta-feira, no jogo de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana. Com o resultado conquistado no Morumbi, o São Paulo pode até perder por um gol de diferença na semana que vem, mas se tivesse preservado o resultado da primeira etapa, os equatorianos precisariam de uma vitória por 4 a 0 para avançar.

A mudança na forma do time jogar aconteceu depois da saída de Maicon no intervalo. Além de ter levado o cartão amarelo na primeira etapa, o meia voltou a sentir um incômodo na região lombar e, como estava pendurado, Muricy achou melhor preservá-lo. O técnico reconheceu que a alteração acabou fragilizando a equipe.

“Maicon faz a diferença na saída de bola, é diferenciado na posse de bola. Perdemos a saída, mas tinha que fazer a mudança. Estava sem o Denilson (suspenso) e o Hudson é volante. O gol tomamos num erro muito sério da gente, mas recuperamos, fizemos mais um gol e conseguimos aumentar a nossa vantagem”, ponderou.

Muricy já adiantou que não poupará ninguém para o jogo de volta na quarta-feira que vem. Para o treinador, o principal ponto a se destacar foi a eficiência da equipe na primeira etapa, quando marcou nas três oportunidades que teve.

“Eles não vão mudar a maneira de jogar. Se jogássemos com dois atacantes abertos, ficaríamos presos na marcação. No primeiro tempo, fomos muito bem, foi uma das melhores partidas no ano. Eles não têm meias de ligação. Vamos para jogar e tentar ganhar. Deu muito trabalho ao Goiás, será um jogo de choque.”