O J. Malucelli entrou em campo para enfrentar o Novo Hamburgo, precisando vencer por dois gols de diferença para poder passar à terceira fase da Copa do Brasil. Mas a noite de ontem não foi nada boa para o Jotinha, que acabou perdendo por 2×0 para o time gaúcho dentro do Ecoestádio Janguito Malucelli e foi eliminado da competição – perdendo não só a partida, mas o calendário deste ano, pois o time paranaense não disputa nenhuma competição no segundo semestre.

Apesar da eliminação, quem foi ao Janguitão na noite de ontem viu um cenário que há muito se perdeu no futebol dos grandes centros. Lado a lado, coxas-brancas, paranistas e atleticanos dividindo o mesmo espaço em meio a torcedores do Jotinha e de outras equipes. Para atrair um maior número de torcedores, quem foi ao Janguito vestindo a camisa de uma equipe paranaense pagou meia entrada. A promoção surtiu efeito, reuniu pouco mais de quinhentos torcedores e fez do jogo um evento familiar. “Eu trouxe meu filho que tem dez anos e gosta de futebol. Sou atleticano e depois de muito tempo vim despreocupado para um jogo de futebol, se fosse qualquer outro aqui em Curitiba seria diferente. Está muito legal”, declarou o empresário Carlos Antonio Clevicz, que foi ao jogo com toda a família.

Desfalcado de dois jogadores (Alex Fraga e Luiz Henrique Camargo, que foram expulsos na partida de ida), o J. Malucelli teve dificuldade e não conseguiu reverter o placar da primeira partida, que perdeu por 1×0. A dificuldade foi grande desde o início, e logo aos treze minutos do primeiro tempo, depois de uma bobeira da zaga, Eliomar fez de cabeça 1×0.

O resultado obrigava o time da casa a fazer três para passar a próxima fase. Mas a situação piorou ainda mais – aos 28 do segundo, na jogada trabalhada que começou pelo lado direito do gramado, Douglas ajeitou para Eliomar fazer o segundo dele, que consolidou a classificação do Nóia. Sem poder de reação, o Jotinha se despediu da Copa do Brasil. “Trabalhamos muito durante a semana, mas não deu. Agora é encarar essa triste realidade de ficar sem calendário”, disse o volante Wellington, um dos mais abatidos ao término do jogo.