O Ecoestádio Janguito Malucelli pode ser a casa do Atlético na disputa do Paranaense deste ano. A informação ainda não foi confirmada pela Federação Paranaense de Futebol (FPF), que pediu que os clubes informem até a próxima segunda-feira os locais que vão mandar seus jogos no Estadual. Um dos motivos que pode fazer com que o Ventania jogue no Janguitão é a pendência de aproximadamente R$ 80 mil que o clube mantém com o Paraná, referente ao valor do aluguel da Vila Capanema da partida contra o Flamengo, no final de novembro, pela final da Copa do Brasil.

O contrato de aluguel da Vila Capanema para o Atlético iria até junho deste ano, mas o vínculo pode ser encerrado antes. Isto porque a diretoria do Paraná acionou o seu departamento jurídico, que está cuidando do caso. Os termos do acordo entre os clubes são mantidos em sigilo, mas sabe-se que a falta de pagamento pode resultar no cancelamento do contrato.

Assim, pelo menos para o Estadual, o Ecoestádio seria uma opção mais barata para o Atlético mandar seus jogos, já que o aluguel da Vila Capanema custa em torno de R$ 50 mil por partida. Entretanto, de acordo com o presidente do J. Malucelli, Joel Malucelli, a diretoria do Furacão não fez nenhum contato para mandar as partidas do Estadual no Janguitão. “Até agora não houve nenhum contato. Se eles precisarem nós vamos ceder, sem problemas”, disse.

Capacidade

Porém, as arquibancadas tubulares que o Atlético instalou em 2012, quando mandou alguns jogos da Série B no Ecoestádio, foram retiradas ao final do Campeonato Paranaense do ano passado, quando o Furacão decidiu mandar seus compromissos na Vila Capanema. Assim, a capacidade do Janguitão deverá ficar restrita a no máximo 5 mil torcedores. No estádio do Jotinha, o time atleticano teve, nas 23 partidas disputadas nos dois últimos anos, 78% de (LF)