Miyagi (AE) – O Japão, sob o comando do francês Phillipe Troussier, buscará a vitória contra a Turquia e a vaga nas quartas-de-final da Copa do Mundo. Os anfitriões japoneses terminaram em primeiro no Grupo H, com duas vitórias e um empate, uma campanha inédita na primeira fase comparada à estréia do time em Mundiais, na França, em 1998, quando perderam os três jogos. Agora sonham com uma vaga nas semifinais contra o Brasil, um objetivo ambicioso, mesmo para quem entrará no Estádio de Miyagi, em Sendai, apoiado por 49 mil torcedores, que nutrem esperanças de que o time vença e avance. Japão e Turquia jogam amanhã, às 3h30. O vencedor vai enfrentar o Senegal.

“Nos classificamos de forma ideal. Agora estamos dispostos a lutar e decididos a seguir ganhando”, garantiu Takayuki Suzuki, que marcou contra a Bélgica. “Se continuarmos jogando como fizemos, podemos ficar entre os oito melhores e os últimos quatro classificados”, disse Inamoto, jogador do Arsenal inglês.

Os turcos garantem que também confiam em sua força, mas têm uma grande preocupação: a recuperação do atacante Hasan Sas (Galatasaray), de 25 anos, um dos principais jogadores da Turquia no Mundial, que se machucou no último confronto do Grupo C, contra a China, na Coréia do Sul.

Os turcos chegaram às oitavas-de-final pela primeira vez na segunda participação do país em Copas, perdendo para o Brasil por 2 a 1, empatando com a Costa Rica, por 1 a 1, e vencendo a China, por 3 a 0.

Gunes disse, em Miyagi, que o Japão é uma equipe “bem organizada”, que também tem jogadores que atuam na Europa, como Shinji Ono (Feyernoord, Holanda), Inamoto e Nakata, além de contar com a confortável posição de estar em casa. Gunes, disse ainda que o Japão mostrou um jogo rápido contra a Bélgica, mas no final, contra a Tunísia, foi mais lento, mas com firma controle da bola no ataque.

Por orientação do treinador, os turcos desistiram de receber as mulheres e noivas no Japão como estava planejado. As críticas da mídia turca, considerada injusta e desnecessária pela seleção, parecem ter se dissipado após a classificação histórica para as oitavas-de-final. “Nos enterraram vivos. Hoje se é traidor da pátria, amanhã se é herói, mas assim são as coisas na Turquia”, observou o goleiro Recber Rustu.

Ficha Técnica

Local: Miyagi (Japão). Horário: 3h30 (de Brasília). Árbitro: Pierluigi Collina (Itália). Japão: Narazaki; Miyamoto, Matsuda, Nakata e Myojin; Hidetoshi Nakata, Inamoto, Toda e Shinji Ono; Yanagisawa e Suzuki. Técnico: Phillipe Troussier. Turquia: Rustu Recber; Aykel Fatih, Bulent Kormaz, Hakan Unsal, Umit Ozat; Tugay Kerymoglu, Buruk Okan, Yildiray Basturk, Umit Davala; Hasan Sas e Hakan Sukur (Ilhan). Técnico: Senol Gunes.