Presença constante na seleção brasileira desde a fase final de preparação para a Copa das Confederações no ano passado, quando foi chamado para substituir o lesionado e cortado Leandro Damião, Jô se tornou um dos jogadores de confiança do técnico Luiz Felipe Scolari, mas está longe de ser titular. Assim, muitas vezes é acionado em situações de emergência.

Se isso acontecer na Copa do Mundo, Jô garante estar pronto para corresponder aos pedidos do treinador. “Tenho que estar preparado. O jogador vive de oportunidades. Tive situação parecida na Copa das Confederações. De repente, fui chamado e se não estivesse preparado, não faria uma boa Copa das Confederações”, lembrou o atacante do Atlético-MG.

Na campanha do título brasileiro no ano passado, Jô marcou dois gols, nas duas partidas iniciais da Copa das Confederações, mesmo que tenha permanecido em campo por menos de dez minutos em cada um dos duelos, contra Japão e México.

Jô prometeu que pode repetir isso na Copa. “Estou me preparando para qualquer circunstância. Seja começando entre os 11, sendo reserva ou jogando os cinco minutos finais de uma decisão. Tenho que estar pronto”, disse.

A chance de Jô ser acionado e sair do banco de reservas durante o Mundial é grande, pois foi assim que ele entrou em campo em nove das 14 partidas que disputou sob o comando de Felipão na seleção.

Além disso, Felipão testou Jô entre os titulares durante a segunda parte do coletivo de segunda-feira, no lugar de Fred. E o próprio treinador revelou anteriormente que escalar os dois centroavantes juntos é uma das opções táticas possíveis de serem usadas durante a Copa.

“Quem vai decidir é o Felipão. Pode ser em uma situação adversa, precisando ganhar. Nós dois fixos seria uma boa possibilidade. Quem vai decidir é ele. Imagino ajudar, de qualquer maneira”, comentou Jô.

Assim, Jô sonha em marcar um gol decisivo pela seleção, como fez em outros momentos, incluindo na finalíssima da Copa Libertadores de 2013, quando ajudou o Atlético-MG a ser campeão continental.

“Graças a Deus, na minha carreira toda, exceto no Internacional, onde não tive felicidade, fiz gols importantes e espero ajudar da melhor maneira”, disse o atacante, prometendo ajudar a seleção em qualquer circunstância.