Ainda não deverá ser desta vez que o Brasil terá a estreia de Rafaela Raurich em um Mundial adulto de natação. Enquanto aguardava sua vez de saltar para defender o Clube Curitibano no revezamento 4x200m livre no Troféu Maria Lenk, a paranaense de 14 anos viu Joanna Maranhão abrir para o Pinheiros em 2min00s60, tomar-lhe o posto de quarta mais rápida do país nos 200m livre e entrar na equipe do revezamento que vai ao Mundial de Kazan (Rússia), em agosto.

Rafaela Raurich, que vai completar 15 anos apenas no último dia de outubro, foi a mais rápida da final B dos 200m livre, na segunda-feira, com 2min01s44. Assim, fechou aquele dia apenas atrás de Larissa Oliveira, Manuella Lyrio (ambas classificadas para Kazan nos 200m livre) e Jéssica de Bruin Cavalheiro.

Nesta quarta-feira, a única chance de ela perder a vaga na equipe de Kazan era uma atleta que não competiu individualmente na segunda abrisse o revezamento por sua equipe com tempo melhor que 2min01s44. E foi exatamente isso que aconteceu com Joanna Maranhão, que minutos antes havia garantido índice também nos 400m medley, ganhando ouro na prova no Maria Lenk.

RECORDE – Com Joanna Maranhão, Larissa Oliveira, Manuella Lyrio e Gabriele Roncatto, o Pinheiros bateu o recorde sul-americano do revezamento 4x200m livre, com 8min03s22, superando em cerca de dois segundos a marca feita pela equipe olímpica de 2004, em Atenas, quando era Joanna Maranhão a grande revelação da natação brasileira.

No masculino, a equipe do Pinheiros bateu o recorde do campeonato, com 7min16s67. O time foi composto por Marcos Ferrari, João Pedro Cervone, João de Lucca e Gabriel Ogawa. Minas e Unisanta faturaram ouro e prata, respectivamente. No feminino, o GNU ficou em terceiro, atrás de Pinheiros e Minas.

Antes, nos 800m livre, a equatoriana Samantha Arévalo repetiu a vitória dos 1.500m, na segunda-feira. Nadando pelo Fluminense, ela foi seguida por Carolina Bilich (Minas) e Poliana Okimoto (Unisanta), ambas distantes do índice para Kazan.

Na final B dos 50m livre, havia a expectativa pelo desempenho de Ítalo Manzine Duarte e Walter Lessa, que fizeram índice para o Mundial durante o Torneio Open, em dezembro. Eles fizeram as duas melhores marcas da prova, mas não baixaram novamente o índice. Os representantes do Brasil nos 50m livre em Kazan serão mesmo Cesar Cielo e Bruno Fratus.