Após a partida, com a derrota e a ida para a decisão por pênaltis, irrompeu na Vila Capanema um coro de cobranças ao técnico Paulo Comelli e à diretoria, principalmente contra o vice-presidente de futebol Márcio Vilella.

Com a vitória nas penalidades e a classificação, Comelli elegeu um culpado – o zagueiro João Paulo, chamado de “irresponsável” por ser expulso ao tirar a camisa para comemorar o gol de empate.

“Não pode acontecer uma coisa dessas, uma irresponsabilidade do João Paulo, que foi expulso e prejudicou o time. Ele será multado”, disse o treinador paranista, que completou as críticas ao jogador pedindo publicamente a contratação de um zagueiro pelo lado direito, justamente a posição de João. “Nós estamos há muito tempo buscando um zagueiro destro. Temos que trazer alguém o mais rápido possível”, afirmou Comelli.

Sobre as críticas da torcida, nada. O treinador preferiu falar que, na próxima fase, o Paraná tem que evitar tanto sofrimento. “Temos que pensar grande. Não dá para ser ingênuo como nosso time foi hoje (ontem). Se passamos assim com o Mixto, temos que fazer algo melhor contra o Fortaleza”, finalizou Paulo Comelli.