Começa neste sábado uma nova chance para Jobson reerguer sua carreira. Após seis meses de suspensão por doping, o atleta está liberado para voltar a jogar e tentar mostrar que pode acertar o prumo de sua trajetória profissional. Ele ficará no banco de reservas do Botafogo, que enfrenta o Bangu, às 16 horas, no estádio Moça Bonita, pela terceira rodada da Taça Rio.

Segundo o técnico Oswaldo de Oliveira, é provável que Jobson jogue, mas não está garantido. “Ele está há muito tempo parado e não temos uma situação de emergência, apesar dos desfalques”, disse o treinador, referindo-se aos meias Andrezinho, Fellype Gabirel, Elkeson e Maicosuel, todos lesionados. “Minha intenção é colocá-lo em campo, mas, dependendo do andamento da partida, pode não acontecer”.

O técnico disse que, mais do que ninguém, quer ver Jobson em ação. Mas é preciso ter calma. “Jobson poderia ter tido uma carreira muito boa, não teve ainda, e ele sabe bem. Mas ainda dá tempo, é chance de ele decolar”, afirmou. “Se sente-se em débito com a torcida e com o Botafogo, é a hora de pagar. E vou ter prazer em ser o caixa”, brincou.

Sem Jobson, o Botafogo deve entrar em campo com: Jefferson; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Marcelo Mattos, Renato, Felipe Menezes, Herrera e Caio; Loco Abreu.