O técnico Joel Santana resolveu fazer mistério no Botafogo antes do clássico contra o Fluminense, no próximo domingo, às 19h30, no Engenhão, pela sexta rodada da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca. No confronto, a equipe terá a chance de assumir a liderança do Grupo B com uma vitória. Com 13 pontos, o time está dois atrás do adversário, que ocupa o topo da chave.

“Fiz um treinamento, temos uma base e estou esperando. Até domingo, vou escolher uma das duas equipes que trabalhei. Não é um jogo qualquer, é o Glorioso, o campeão carioca, contra o campeão brasileiro. Qualquer detalhe pode resolver a partida, favoravelmente ou não. O importante é o elenco ter postura de vencedor. A equipe ainda não encontrou a formação ideal, ainda busca o encaixe”, afirmou o treinador, que fechou parte do treinamento desta sexta e só permitiu o acesso da imprensa ao local durante os últimos 30 minutos da atividade.

Em seguida, Joel lembrou que o mistério poderá ser fundamental para o possível sucesso no clássico de domingo e prometeu uma equipe sem medo de encarar o Fluminense em igualdade de condições. “Se você falar que vai jogar de forma cautelosa, dá supremacia para o adversário. O Glorioso vai jogar de igual para igual, como sempre faz. O importante na competição é ser primeiro. Falar em ser segundo, no Brasil, não vale nada. Não queremos apenas a classificação, mas também, se for possível, largar na pole position”, reforçou Joel, destacando que pretende levar alguma vantagem às semifinais da Taça Guanabara.

A tendência é a de que Joel mantenha a escalação que vem utilizando nos últimos jogos, mas existe a possibilidade de o volante Somália ser descolado para a lateral esquerda. Com essa mudança, Arévalo iria compor o meio-campo com Marcelo Mattos e Renato Cajá.

Apesar de fazer mistério, Joel Santana confirmou o retorno do volante Marcelo Mattos, poupado na última quarta-feira, no empate por 1 a 1 com o Bangu, ao time botafoguense. “Tem determinadas posições que a equipe se sente melhor com um jogador específico. Desde que chegou, com a postura dele, Marcelo Mattos é um líder que não fala muito. E conhece muito bem a posição. É um jogador que encaixou no esquema que adotamos”, elogiou o comandante.

OBRIGAÇÃO DE VENCER – E, se Joel usou o mistério como arma antes do clássico, o lateral-direito Alessandro enfatizou nesta sexta-feira que o Botafogo precisará ser ousado e não ter medo de atacar o Fluminense. “É uma oportunidade de mostrarmos a força do nosso grupo, já pensando nas semifinais. Os jogadores estão cientes disso. A obrigação de vencer é nossa, pois estamos brigando pela classificação. Vamos jogar com cuidado, marcando a equipe deles, mas precisamos atacar também, saber jogar com a bola”, alertou.

Alessandro ainda disse que o empate por 1 a 1 com o Bangu elevou a pressão sobre a equipe do Botafogo na disputa por uma das vagas na semifinal. “Aumentou um pouco a responsabilidade porque tivemos um resultado ruim diante do Bangu, que nos obriga a vencer o Fluminense para garantir a classificação. É um jogo difícil, contra um clube de tradição que está sempre disputando títulos. O que aconteceu serviu de alerta para vermos o que temos de melhorar para este clássico. Vai ser uma grande partida”, prevê.